Google+ Followers

Thursday, September 28, 2006

I Dig it Special 001



Começo com o tema de Star Wars (se alguém me acusar de premeditação, eu processo, juro...) esta edição especialíssima do Impressões Digitais, que espero seja a precursora de muitas outras, claro, se meus companheiros e comparsas permitirem e não me assassinarem antes.

Aqui, singelamente, perpetro uma homenagem a esta nova classe de paranóicos, que do nada se propõem a distribuir, gratuitamente, humor, cultura, arte, tecnologia, diversão, entretenimento, non-sense, et cetera.

Assim, perdendo a vergonha de vez, relembro a saudosa Radio Camanducaia (sessão do hilário Show de Rádio do Sangirardi e equipe nos idos de 70 na rádio Joven Pan AM após a rodada de futebol de domingo), neste especial renomeada de Radio Luar do Sertão, e apresento 3 estrelas convidadas deste céu podcastiano nacional.

O roteiro-base da "rádio camanducaia" serviu de estrutura para roteirizar uma ambientação e receber os convidados do programa. Solicitei (e recebi, quem diria!) permissão de todos estes "homenageados"... e aí? Bem... usei e abusei...

Ahn... os links dos convidados estão no meu blogroll aí do lado.

Divirtam-se.

Para o encerramento, acabei usando da ópera em 2 atos de Wolfgang Amadeus Mozart "Don Giovanni" (Don Juan em espanhol) de 1787, a ária para soprano e barítono com piano e orquestra, "Là ci darem la mano", onde Don Giovanni conquista a nubente Zerlina (novamente, e alguém me acusar de premeditação, eu processo, juro...)

Là Ci Darem La Mano

Là ci darem la mano,
Là mi dirai di sì,
Vedi, non lontano,
Partiam, ben mio, da qui.

Vorrei, e non vorrei,
Mi trema un poco il cor
Felice, ver, sarei,
Ma pu' burlami ancor.

Vieni, mio bel diletto!

Mifa piet" Masetto. Io cangier" tua sorte

Presto non son pi' forte.

Andiam, andiam...

Andiam...

Andiam, andiam, mio bene,
A ristorar le pene
D'un innocente amor.

Tuesday, September 26, 2006

Oh vida, oh azar...

Na semana passada fui atacado por spammers... O 'tadinho do blog do meu podcast, ficou meio complicado com aquela montanha de comments inválidos...
Como o sistema atual do Loudblog (gerenciador de publicação do podcast) permite desligar o acesso global aos comentários usei este método (mais rápido e eficiente). Informei àqueles que desejam publicar algum comentário que - por enquanto - o façam aqui.
Agora, para resolver de vez o problema eu vou partir para uma remodelação total do blog do Impressões...
Aguardem (compaciência)! Pois, com minha falta de tempo crônica isto pode realmente demorar um pouquinho.

Thursday, September 21, 2006

Boi de Piranha - review

Bem... passei para o Blogger Beta de cara no 1º dia (meio assim, com o espírito de mad user - daqueles louquinhos que só existem para atazanar o provedor) e sabe o que aconteceu?
Quase nada, tudo anda funcionando até que bem direitinho...
Não sou um heavy user, mas as limitações (Safari não rola pra editar posts? Não! Use Firefox - Não dá pra usar a ferramenta import blog's post de alguns outros serviços? Não, mas é fácil, cut & past!!!) me aporrinharam um pouco... Por outro lado, o pessoal do Blogger foi muuuuito gentil e responderam rapidinho, dando informaçoes precisas. Em resumo até aqui vale a pena.

Saturday, September 16, 2006

Metropolis [004]

Este é um Metrópolis Especial, pois ao invés de ser aquela chargezinha com os pensamentos metropolitanos e urbanóides do Pombo Paulista - o qual anda meio esquecido na gaveta (prometo que volto a rabiscar e publicar a charge logo, logo) - aborda um contra-argumento da Aline Rodrigues a respeito de uma das seções do Podcast Impressões Digitais, item 019 (I Dig It 019) de 1º de Setembro de 2006.

Bem, para que tudo fique bem esclarecido reproduzo aqui (depois de um p... trabalho de compilação do áudio, que com certeza deve conter alguma falha) o que comentei na seção em questão (É a Ignoranssa qui astravanca u porgréssio). Vamulá:


IDig it 019
2006-09-01 by Sérgio Vieira da Silva
Há alguns dias atrás os funcionários Metrô de SP resolveram fazer mais uma greve de 24h no meio da semana, pois reividicavam - adivinhem o quê?- a discordância de se construir mais uma linha do metrô e que esta fosse bancada e explorada comercialmente pela iniciativa privada...
Ai-meu-deus-do-céu... é nestas horas que baixa em mim o Arnaldo Jabor misturado com o Diogo Maynard!!!! Mais que droga de estrutura governamental e judiciária é essa que permite que algumas centenas de funcionários públicos ("centenas sim, pois a grande maioria como sempre se acomoda na ignorância e na maria-vai-com-as-outras") se arvorem na determinação do direito de ir e vir dos seus patrões diretos? Sim patrões, ou ao menos sócios da empresa, pois, nós, contribuintes formais do erário público (através de impostos municipais, estaduais e federais) e pagadores diretos de um serviço público (olha como somos idiotas... pagamos 2 vezes pelo serviço) somos obrigados a nos submeter constantemente aos achaques desta corja de aproveitadores...
Nem preciso esclarecer que não só aqueles que se utilizam de transporte público, como aqueles que possuem um carro a disposição para seu transporte dançaram neste dia...
Se de um lado os profissionais detêm direito à remuneração justa, de outro têm o dever de prover o serviço contratado...
Nesta zona toda que os funcionários públicos do metrô de SP provocam irremediavelmente a cada 6 meses, adivinhem qual foi a punição destes? Zero, nada, porra nenhuma... ou seja se você profissional da iniciativa privada der um cano amanhã, das duas uma, ou é descontado em folha ou não fatura... Agora se você for um FUNCIONÁRIO PÚBLICO CONCURSADO.... "ahnnnn peraí meu, aí é diferente... foda-se redondamente o mundo e aqueles que pagam meu salário, EU SOU PROTEGIDO PELA LEI DE ESTABILIDADE... perante a Lei, a constituição federal eu sou igual a todo mundo, mas sou funcionário público e portanto sou um pouquinho, só um pouquinho privilegiado... ganho as vezes menos que o salário médio da função (mas também tenho menos preparo e me é exigido menos), mas ninguém pode me mandar embora, e eu também não largo o osso porque se eu substitutir alguém de uma função superior durante 30 dias ou mais meu salário e as benesses legais e de carreira que ao acargo advém devem ser equiparados a este pra sempre e entre outras coisinhas aqui e ali, eu me aposento com meu salário integral...


Bem... com este meu cívico-privado-devidamente-tributado-e-emputecido desabafo explicitei meu desagravo à estrutura politica vigente - capitaneada por nossos congressistas - que permite tais desvios da estrutura democrática (onde alguns cidadãos são mais cidadãos que outros) e finalizei conclamando à não-reeleição de nenhum atual congressista (já expliquei, mas repito para melhor clareza: os honestos que lá estão que me desculpem, mas se TODOS congressistas perdessem seus mandatos, com certeza algo iria mudar... a mensagem seria clara.)

Bem... até que enfim - após inúmeros pedidos - alguém entrou na roda e me chamou pro pau (ops! que linguagem chula, rapá!).

Segue abaixo o comentário da Aline Rodrigues (ôôô mulher corajosa...)

Aline Rodrigues Says:
September 15th, 2006 at 08:10 pm
Queria crítica? Então vai lá!
O último episódio estava demais. Não só no sentido de muito bom, mas de muito.
Pra mim teve elogio e pancada.
No Manual do Torneiro Mecânico primeiro veio a aula de ciências. Eu acompanhei, atenta, e perdi o ônibus. Tudo bem, o outro estava menos cheio. Depois veio a genial Redação Terra, espantosa.
O respiro veio com a maravilhosa Gisele, mas logo depois pé em baixo de novo com a pancada e o addendum.
Foi denso demais, profundo demais, provocou reflexões demais.
Fui obrigada a desligar o radinho no meio da viagem (!!!!!) para digerir o programa. É claro que o problema está no canal receptor. Eu nunca reclamaria que o programa está inteligente demais (Também não sou tão burra), mas acho que dá pra dar uma diluída de leve.
Você tem o talento de levar a qualquer audiência os temas mais complexos, tipo o Beakman mesmo.
Quando o programa acabou eu me sentia como um dos pingüinzinhos.
Foi você que pediu.
E depois pediu de novo!
Pronto, tomei coragem!

Essa mulher é demais. Até p.. da vida ela é gentil!!
Ao invés de me esculhambar, por fazê-la perder o ônibus (e também o horário... só quem anda de transporte http://beta.blogger.com/img/gl.italic.gifpúblico sabe como isto aborrece) e desancar a classe profissional dela de vez, esta ímpar podcaster me elogia o tempo todo!!!!
Mas eu sou um calhorda, um cafajeste daqueles do estilo que Jece Valadão interpretava... Volto à carga e trago à baila a notícia abaixo:

5 de setembro de 2006 - 13:29
Justiça de São Paulo proíbe novas greves de metroviários. A multa diária, em caso de descumprimento, foi fixada em R$ 100 mil.
SÃO PAULO - O Metrô de São Paulo está proibido de fazer uma nova greve. A decisão é do juiz Afonso de Barros Faro Júnior, da 7ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo. O juiz acolheu parte da ação movida pela Fazenda Pública contra o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários de São Paulo e os membros da diretoria executiva.
A multa diária, em caso de descumprimento, foi fixada em R$ 100 mil. Faro Júnior, negou, contudo, o pedido de indisponibilidade de bens dos réus, alegando que eles não teriam condições de arcar com a indenização caso ela fosse exigida.
Uma paralisação de metroviários no dia 15 de agosto deixou 2,8 milhões de pessoas sem transporte público. Os funcionários protestavam contra o que chamam de “privatização” da Linha 4 - Amarela do Metrô. A linha ainda está em construção e as obras só serão concluídas em 2008. Segundo os metroviários, essa parceria foi a maneira encontrada pelo governo paulista para privatizar os serviços do Metrô.


Ahnnn... eu devia ter feito advocacia... Veja só que solução fantástica (p'ra idiota, né?!) a Justiça PAULISTA (este poder tabém anda precisando ser sanitizado):
Funcionário público pago com nossos dinheiros, para operar um serviço que não tem nada com o estado (trem), serviço esse muito bem pago (de novo com nossos dinheiros), fazem greve (em bom português: fodem boa parte da população economicamente ativa da cidade) e nem são descontados. São isto sim, sob força da Lei probidos de repetir o ato, ou melhor são perdoados por não seguir a Lei vigente (serviços essenciais devem ser mantidos ao menos com 40% da capacidade) e recebem a reprimenda: "... se não atenderem nosso pedido vocês vão pagar...). Lembrando que sindicatos são mantidos com a contribuição irrisória de seus associados e com uma montanha de dinheiros públicos...
Ou seja, o pagador de impostos-serviço paga também a multa!!!!!!
Ôoooo justiça fiadaputa esta!!!!!!

Tuesday, September 12, 2006

I Dig it 020

Compacto Duplo

Link para o I Dig it 020



LADO A: Try A Little Tenderness - Nina Simone - Sings The Standards

LADO B: Try A Little Tenderness - Otis Redding, Jr (Dictionary of Soul, 1966)


Try A Little Tenderness
Otis Redding

oh she may be weary
them young girls they do get wearied
wearing that same old shaggy dress
yeah yeah
but when she gets weary
try a little tenderness
yeah yeah
oh man that
un hunh
you know shes waiting
just anticipating
the thing that you never never never never possess
yeah yeah
but while she there waiting
try just a little bit of tenderness

its not just sentimental, no no no no
she has her grief and cares
but the soft words
that are spoke so gently, yeah
it makes it easier, easier to bear
oh she wont regret it
oh no
them young girls they don't forget it
love is their whole happiness
yeah yeah yeah
but its all so easy
all you got to do is try
try a little tenderness
yeah
that's hard to you gotta?
you're a man
got to hold her
squeeze her
don't tease her
never leave her
now get to her
got got got
to try a little tenderness
yeah yeah
lord have mercy now
all you got to do is take my advice
no no no
you've got to hold her
don't squeeze her
never leave her
you got
got got got to
na na na na na
got got got to
try a little tenderness
you huh
got got



Try A Little Tenderness é 5ª faixa do Lado A do LP Dictionary of Soul (de 15 de Outubro de 1966) de Otis Redding:

Lado A
Fa-Fa-Fa-Fa-Fa (Sad Song)
I'm Sick Y'all
Tennessee Waltz
Sweet Lorene
Try A Little Tenderness
Day Tripper
Lado B
My Lover's Prayer
She Put The Hunt On Me
Ton Of Joy
You're Still My Baby
Hawg For You
Love Have Mercy

Homo Sapiens - Para compreender o passado e, assim, como foi moldado o seu presente, nada mais salutar que entender perfeitamente o que foi escrito, a linguagem, os discursos e os conceitos de antanho. Não adianta nada tentar utilizar seu "dicionário utlra-moderno" para avaliar e analisar a obra de Kant, por exemplo.
Faz-se mister estudar e conceituar o "momento presente" do autor em toda sua profundidade social, cultural e linguística. A comparação dos usos da linguagem em tempos e espaços distintos é uma excelente via para a compreensão mais ampla da história de povos e civilizações.
No Homo Sapiens do I Dig it 020 busco referências de brasileirismos para intróito e contra-ponto à análise sócio-poltica de Alexis de Tocqueville sobre as adequações da palavra "cavalheiro" na França, Inglaterra e EUA nos séculos 18 e 19, desaguando num libelo social-democrata com tintas esquerdizantes.

Como sempre: basta encerrar a edição - e preparar para publicar o podcast - os meus agradecimentos são sobrepujados por novas gentilezas e... me estrepo.
Assim - pra remendar - fica aqui minhas sinceras desculpas àqueles que não agradeci de viva-voz... Fica, então, em bem-traçadas linhas, meu público agradecimento a Mariana e a Mila Juns e todos que teceram comentários (?!) a respeito da participação do "galã" aqui no videocast do Chris Gurtner (ver youtube do post anterior). 'Brigadão a todos...

Como BackGround deste Impressões decidi usar algumas suites da ópera Carmem, de Georges Bizet (1838-1875):
Suite nº 2 Dança Boemia
Suite nº 9 Os dragoes de Alcala
Suite nº 9 Intermezzo
Suite nº 2 Havaneira

Tuesday, September 05, 2006

Ôpa! Guest star.

O Chris Gurtner do Escriba Café me aporrinhou no sábado agora para dar uma ajudinha no seu segundo vídeo podcast... Acabou virando participação especial, pequena, mas pra mim muito especial.

Olha aí no que deu...





Quaisquer comentários - contra ou a favor - queira dirigir-se a Christian Gurtner.

Friday, September 01, 2006

I Dig it 019

Versão Full



Começamos este Impressões Digitais 19 versão FULL com Almir Eduardo Melke Sater violando Luzeiro de sua autoria... (A galope, meio enviolado, meio caipora, de vera um matuto de olhar de esgueio, que de soslaio avista um alumiado tão brilhante que amolece este coraçãozinho já um tanto duro e ressequido).
Muitos madrugadores globalizados irão reconhecer o tema do Globo Rural...

Olha, em Janeiro deste ano eu "cai na alma" da Aline Rodrigues pela sua atitude de gravar um podcast em plena praia... tanto que ele assimilou perfeitamente o carinhoso epíteto de Miss Verão DonaDoida 2006. Mas após o episódio 18 do Podcast Elaspod, a Alessandra comprovou que se pra gravar um podcast é necessário se enfiar em um box forrado de cobertores, tudo bem... Vamos nessa!!! Realmente Deus fez do homem o rascunho do modelo final... Estas mulheres são realmente fantásticas! Et avant j'oublie, vive la difference!!!!

O Manual do Torneiro Mecânico - Como um fato (reconheço, um tanto árido e especializado para a imensa maioria - mas peraí!? - você quer algo mais árido e especializado que blogs e podcasts?! ) pode ser tão vilipendiado, tanto na distorção dos fatos - e percebe-se pela falta da informação básica e/ou descuido de acuidade jornalística - como na atitude displicente do trato da forma de divulgação da informação científica, ou seja a meta-piada da mídia eletrônica...
A Redação Terra para anunciar um fato incomum - um matemático não dar "a menor bola" para um evento de premiação - se enrolou toda, tanto na tentativa de descrever o fato assim como nos comentários.
A Conjectura de Poincaré, após 100 anos de sua formulação, solucionada, por este matemático, o russo Grigori Perelman, que além do prêmio Fields - desprezado - candidata-se ao prêmio Clay (este de US$ 1 milhão), trata de uma área da Matemática chamada de Topologia.
Olha o que a Redação (rá! rá! rá!) Terra escreveu: "o modesto Perelman, ao invés de publicar seu achado em um importante jornal, jogou seus achados em uma página da Internet...", ou seja, os próprios provedores desta mídia (e que cobram caro por seu uso) a desprezam como meio de divulgação científica... O que a própria divulgação da noticia comprova...
"É o meta-jornalismo! O meio realmente é a mensagem final.... O resto? Que se dane! Inventa qualquer abobrinha aí ô meu..."

Caiu na rede!!! - Vi que a Madonna decidiu (através de sua fortuna e de seu grupo de Kabala) auxiliar o Malawe (país do Sudeste da Africa ) p'ra me lembrar da nossa jovem Gizele (quem não lembra da Madonina Capixaba?). Pois bem, coloquei-a de novo no Impressões... Deus há de me perdoar algum dia....

É a ignorança qui astravanca o progréssio!!! - Eu não consigo de largar deste tema: Metropolitano de São Paulo! Desta vez caio de pau nos seus funcionários "públicos" que fazem greve por qualquer porcaria, desta vez foi para protestar pelo modelo de concessão da Linha 4 deste meio de transporte... "Vamo defender nossa boquinha!!!!"

Preservativo Musical - P'ra este I Dig eu achei a música City Lights do grupo californiano formado por Ross Valory (baixo e violões), George Tickner (guitarras) e Steve Roseman (teclados), que há 7 anos desenvolvem um belo trabalho com banda VTR.

Addendum - O Vito e o Federico do Podcast Rossopomodoro enviaram um comentário regado a whisky sobre o tema do último Impressões, a hipocrisia humana, mais precisamente sobre o conflito Líbano-Israel... Além de minha bolinha ganhar um sopro de orgulho, os Millie-Vanille do mundo podcast brasileiro no exterior, como sempre, esbanjam inteligência e bom humor... Aproveitem.

BackGround - Só toco hoje Pat Metheny. Quem não o conhece, não sabe nada de Jazz Contemporâneo.

  • Bright Size Life - Pat Metheny & Jaco Pastorius
  • Always and Forever - Pat Metheny
  • April Joy - Pat Metheny
  • Ol' Bill Basie - BB King & Pat Metheny & Dave Brubeck