Google+ Followers

Wednesday, October 11, 2006

I Dig it 021

Podcast Impressões Digitais em sua vigésima-primeira edição - FULL




INTRODUÇÃO
Days Are Numbers (The Traveller) - The Alan Parson's Project
Album: Vulture Culture - Chris Rainbow - Lead Vocals

The traveller is always leaving town
He never has the time to turn around
And if the road he's taken isn't leading anywhere
He seems to be completely unaware

The traveller is always leaving home
The only kind of life he's ever known
When every moment seems to be
A race against the time
There's always one more mountain left to climb

Days are numbers
Watch the stars
We can only see so far
Someday, you'll know where you are
Remember
Days are numbers
Count the stars
We can only go so far
One day, you'll know where you are

The traveller awaits the morning tide
He doesn't know what's on the other side
But something deep inside of him
Keeps telling him to go
He hasn't found a reason to say no

The traveller is only passing through
He cannot understand your point of view
Abandoning reality, unsure of what he'll find
The traveller in me is close behind

Days are numbers
Watch the stars
We can only see so far
Someday, you'll know where you are
Remember
Days are numbers
Count the stars
We can only go so far
One day, you'll know where you are

O Manual Do Torneiro Mecânico - Dois fatos distintos e de máxima relevância para os últimos 50 anos, a concepção de 2 fantásticos elementos em meados de setembro de 1956; primeiramente a concepção de euzinho aqui e a concepção do primeiro disco rígido da história da tecnologia, o RAMAC (Random Access Method of Accounting and Control), ou seja, Método de Acesso Aleatório de Contabilidade e Controle, armazenava apenas 5 megabytes de dados e custava US$ 50 mil, e foi lançado pela IBM em 13 de setembro de 1956.
A unidade de memória do computador RAMAC 305 era composta por 50 discos de 61 cm de diâmetro. A máquina foi apresentada pela primeira vez no Brasil em fevereiro de 1961, em uma exposição de processamento de dados organizada pela IBM. Um dos primeiros clientes foi a Volkswagen: levou a máquina para sua fábrica em São Bernardo do Campo. A General Electric do Brasil também comprou o RAMAC 305; foi o primeiro computador instalado no Rio de Janeiro para fins comerciais, nos anos 60. Juntos, todos os 6 mil discos fabricados até o final da década de 60 tinham capacidade de 30 terabytes.
Muita coisa mudou nestes 50 anos, de um zigoto hoje aqui estou eu com zigocentos bilhões de células, assim como fabrica-se HDs com capacidade de armazenagem 150 mil vezes maior que o RAMAC pesando 10 mil vezes menos...
Hoje temos HDs de 750 GB com 100 gramas de peso e 9 cm de diâmetro. Para 2007 anuncia-se o lançamento de HDs com 1 TB de capacidade.

Hard Drive - HALL OF FAME
1956 - A IBM lança o 350. Primeiro hard drive com 50 discos de 61 cm de diâmetro cadae capacidade total de 5MB.
1962 - A IBM lança um sistema de armazenamento independente com 6 discos de 36 cm de diâmetro e 2MB.
1979 - A IBM desenvolve o drive de 8 polegadas (20 cm).
1980 - O drive de 5 1/4" - conhecido como Winchesterfaz seu debut. Seu projeto é a pedra de toque do mercaod de computadores pessoais.
1983 - A Rodine oferece ao mercado o drive de 3 1/4" de 10MB, dimensão que ainda é a padrão para os desktops.
1988 - A PrairieTek lança o drive de 2 1/2" de 20MB, dimensão que ainda é a padrão para os notebooks.
1991 - A Integrated Peripherals lança o drive de 1,8". Uma dimensão de HD que manteve-se a margem do mercado até o lançamento do iPod 10 anos depois.
1992 - A Hewlett-Packard lança o drive de 1,3". Ele não conquista o mercado, entretanto os atuais fabricantes pensam seriamente em relançá-lo.
1999 - A IBM lança um microdrive de 1" com 340MB de capacidade que já alcançou 8GB.
2004 - A Toshiba comprime o drive a 0,85" de diâmetro. Muitos crêem ser este o menor HD a ser produzido em massa.

O QUE É 1 EXABYTE?
1 Exabyte em computês é a representação do número 2 elevado a potência 60, o que dá - deixa eu tomar fôlego - 1.152.921.504.606.846.976 de unidades, ou seja uma ordem de grandeza de um representando por um seguido de 24 zeros.

kilobyte (kB) = 2**10 - ordem: 1 seguido de 03 zeros
megabyte (MB) = 2**20 - ordem: 1 seguido de 06 zeros
gigabyte (GB) = 2**30 - ordem: 1 seguido de 09 zeros
terabyte (TB) = 2**40 - ordem: 1 seguido de 12 zeros
petabyte (PB) = 2**50 - ordem: 1 seguido de 15 zeros
exabyte (EB) = 2**60 - ordem: 1 seguido de 18 zeros
zettabyte (ZB) = 2**70 - ordem: 1 seguido de 21 zeros
yottabyte (YB) = 2**80 - ordem: 1 seguido de 24 zeros

Caiu Na Rede - A nossa ostra de hoje é a autora e intérprete do sucesso internético A Jabuticaba (quem tiver dúvidas questione o Ricardo Macari). A fantástica e incrível Neísa de Oliveira, A Pantera das Coroas, canta nesta vigésima-primeira edição do Impressões a sua composição Saradona.
Esta brasileira, advogada (eu sabia, eu sabia!!!!) e corretora de imóveis, natural de Botucatu, cidade do interior de Sao Paulo, iniciou sua carreira em 2002, quando gravou um CD doméstico. O primeiro show, em uma tarde fria de Botucatu foi presenciado pela seus pais e seus 3 filhos... só, mais ninguém. Hoje ela é um sucesso!!! Esta coisa maravilhosa entitulada A Jabuticaba, foi eleita o Hino Nacional da Medicina pelos universitários bêbados da Festa Brega da Medicina em Abril de 2005.
Deus jamais me perdoará...

É A Ignoranssa Qui Astravanca U Porgréssio - Aproveitando o ensejo na divulgação tão estelar espécime da fauna musical de nosso brasilzão-cabloco acima, eu gostaria de alegar total e completa "ignoranssa" e assim, permitir que as estrelas continuassem a girar pelo céu, distraídas e totalmente alheias às picuinhas humanas... Neste Impressões decidi tocar em um assunto espinhoso: a regulamentação dos direitos de todos os intervenientes de um podcast, que a primeira vista pode parecer uma tremenda besteira.
"Ovam" o podcast e tirem suas conclusões.

Jazz Em Paz - Direto e reto... Estrelas, como tema de minha experiência de vida, só podem ser circundadas pelas obras Also Sprach Zarathustra, partindo da original de Friedrich Nietzsche (1883), passando pela de Richard Strauss (Opus 30 de 1896, parte de seus Poemas Tonais) e chegando a de Eumir Deodato (1972)

Mostro-vos o super-homem.
O homem é algo que deve ser sobrepujado.
Que tendes feito para sobrepujá-lo ?
Todos os seres até hoje criaram alguma coisa superior a si mesmos;
e vós quereis ser o refluxo deste grande fluxo e
até mesmo retroceder às bestas,
em vez de superar o homem?

Notinha de um geek da década de 70 - assisti ao filme 2001 - Uma Odisséia no Espaço 19 vezes desde o seu lançamento por aqui em 1969 (cine Comodoro na Rua Augusta) até compreendê-lo na totalidade e aí sim, comprar o livro de Arthur C. Clarke e ler o danado em algumas horas em 1977.

Diário de Bordo Complemento - Assim diria o canastrão William Shartner na pele do Capitão James Kirk da nave interestelar Enterprise: Meus mais profundos agradecimentos a todos aqueles que via comentários, email, skype, telefone, sinais de fumaça e pessoalmente teceram loas e boas a respeito do Impressões Especial nº 1... todos nós (o âncora da Rádio, o locutor da vinheta, o Freddy Piva, a Tia Dulce, o Islam Bardner, o mordomo Washington e eu) comovidos devotamos a todos vocês nossa eterna gratidão.

BackGround - Como trilha deste podcast muni-me de dotes poéticos e acabei lançando mão de uma rima: todo o background é do lendário e maravilhoso guitarrista Jeff Beck que faz você esquecer que há uma guitarra. Desde 1966 na estrada, Jeff inovou e marcou o hard rock, o jazz-fusion e a música moderna. Aqui utilizo suas composições Blue Wind, Beck's Bolero e Freeway Jam.

No comments: