Google+ Followers

Friday, April 06, 2007

Legal! Eu gravei um podcast...


ArtPC_010_06abr07


... e agora, o que eu faço com isso?!

Neste artigo vou tentar introduzir (epa!) o futuro ou novato podcaster no mundo real do podcasting, através de algumas dicas, fundamentalmente, sobre os assuntos: distribuição, audiência e saudável (e massageador de ego) retorno de seus ouvintes-assinantes.
Então, vamos começar do começo. O seu podcast 'tá lá, prontinho... Depois de muito planejamento, um trabalhão danado e alguma grana gasta na produção, você tem um belo arquivão mp3 de alguns megabytes lá, paradão, descansando, largadão em seu hard disk. E agora? O que fazer?!
Primeiramente, um pouco de experiência pregressa (velho é um saco, né?! Adora contar causos nas situações mais estranhas...): Caí nesta esparrela de fazer podcasts, por sorte, com um razoável conhecimento sobre gravação profissional em estúdio de áudio. Não que eu tenha atuado profissionalmente nesta área, tudo o que fiz foi meio amador, mas meu contato com este mundo desde minha juventude e convivência com familiares e amigos - todos profissionais de gabarito - do meio audio e vídeo atual, foi, e é, bem próximo e fecundo.
Então, o que há de correlação entre este meu background e a questão distribuição e a construção de uma audiência fiel? Francamente, não muito... (eu bem que avisei: velho é assim mesmo, bobeou conta um causo meio nada-a-ver!). A "pedra de toque" do podcast, o que pode transformá-lo em um sucesso é, na realidade, o conjunto, o equilíbrio de três fatores, pela ordem: conteúdo, cuidado na produção e distribuição.
...
Há várias maneiras de abordar o conceito "conteúdo", mas me atrevo a dizer, em resumo: olha cara, sem um bom, denso, imaginativo e envolvente conteúdo e - principalmente - timming (rítmo e ambiência), lamento sinceramente, seu podcast irá se transformar em puro lixo binário rapidinho.
Uma enormidade de podcasts cobrindo centenas, senão, milhares de assuntos, até com apuro técnico acima da média, utilizando estilos diversos são para mim, o mais puro lixo!
Ou seja, se você é perspicaz notou que o bom, denso, imaginativo e envolvente conteúdo e (...) timming" e a enormidade de podcasts (...) são (...) o mais puro lixo!" explicitam o SEU GOSTO e crença na importância do assunto tratado. Aí está a beleza desta mídia!!! Ela permite que você crie desenvolva e distribua todo um conteúdo "sui generis" sobre, por exemplo, ... ahn... "Quais os cortes de pelagem para poodles mais adequados para as estações climáticas setentrionais?" e tenha uma audiência significativa (creio que até patrocínio dos fabricantes de ração canina).
...
Sua voz pode ser danada de ruim, seu microfone pode não ser lá grande coisa (ouça meu podcast para ter um exemplo do que digo), mas também não adianta um vozeirão e um belo estúdio de trocentos canais. Apenas o cuidado na produção sozinho não faz verão, por outro lado, uma produção canhestra, mal cuidada e um desleixo na qualidade sonora e equilíbrio do nível de áudio pode provocar aquilo que chamo de "45 segundos de porcaria"... e aí meu irmão, não tem escape! Basta um ou dois exemplos de áudios ruins e você perde um ouvinte. E não adianta chorar, você nunca mais vai conseguir fazê-lo re-assinar o seu feed. Só se ele esquecer o nome do seu podcast...
Eu - no princípio - pensei que um audiozinho meia-boca poderia ser relevado pela audiência... que nada, quase me estrepei (sei, sei, ainda tá bem meia boca... mas juro que vou por a mão no bolso - onde crio um escorpião - e acertar a captação de áudio).
...
Pois então, você irá querer saber se o seu podcast também é uma porcaria só quando notar, após umas vinte edições publicadas, que apenas três pessoas assinam seu feed, e uma delas é sua mãe? Claro que não, né?! Então vamos lá! Os resultados podem variar, mas se eu conseguir evitar que você cometa algumas bobagens muito comuns por aí no quesito distribuição eu já me dou por satisfeito.
Cuidado e atenção na hora de dar o nome do seu podcast e de registrar o dominío (seja pago ou gratuito). O seu domínio deve ser o nome do podcast (se possível). Isto seria ótimo. O bom, vá lá, pode ser uma parte do nome: no meu caso, não dava para registrar impressoesdigitais.vocepod.com, ficaria algo "esdruxulamente" longo e de dificil memorização, então me arrisquei em deixar apenas impressoes.vocepod.com.
É crucial que as pessoas associem o podcast ao seu website, e vice-versa, como também lembrem-se facilmente deles. Por exemplo: seu podcast chama-se "DIARIO DE BORDO". Não adianta você publicá-lo em um endereço do tipo http://www.webblognet.service.com.br / users / blogs / audio / podcast / diariodebordo / index.html... lamento, mas, ninguém irá lembrar deste endereço. Nem você.
Uma vez resolvida esta questão básica de marketing, ou seja, definir seu podcast (definir nome/domínio e fixar sua marca você precisa cuidar do custo da distribuição. Se está pensando em distribuir seu podcast do host server em que você hospedou sua página web log e não se preocupou com o custo da banda... das duas uma: ou você tem muita grana e nem está aí p'rá esta besteira de "quanto custa?", ou - como mero mortal totalmente desatento e avoado - não seu deu ao trabalho de pesquisar direito sobre tal assunto.
Normalmente os serviços de hospedagem estão interessados em que seus dados fiquem ali em seus HDs, paradinhos; exatamente por isso o o custo de banda de tráfego é costumeiramente alto pacas. Um podcast simplesinho de apenas bate-papo, com uns 15 minutos de duração, tem em torno de 10 MB. Imagine que você tenha 1000 assinantes e publique 10 episódios mensais. Agora faça as contas: em um ano você vai consumir 1,2 GB de espaço de HD (isso não é nada... baratinho, baratinho), mas em compensação, de tráfego, de banda será consumido uns 1,2 TB, ou seja, 100 GB por mês, o que não é muito barato não, em condições normais de temperatura e pressão...
Até agora, por obra e arte do destino, eu tive sorte... Estou hospedado gratuitamente, mas se minha audiência continuar a crescer como está, logo, logo precisarei buscar uma solução paga. Afinal eu hospedado de graça, pequenininho, tudo bem... mas ocupando um espaço cada vez maior e consumindo cada vez mais banda? Aí é sacanagem demais com o host... Mas, não precisa ficar com dozinha de mim, há inúmeras soluções baratinhas disponíveis, tanto aqui no Brasil como por este mundão-de-meu-deus.
Como não estou sendo patrocinado por ninguém não irei ficar fazendo publicidade gratuita aqui. Indico apenas que se faça uma pesquisa na internet sobre "podcast host server" ou "servidor hospedagem podcast" com certeza você acha algo (mesmo que seja nos AdSenses associados).
Uma última dica: visite os sites/blogs dos podcasters já estabelecidos e verifique quais os hosts que eles estão utilizando. P'ra que sofrer, se eles já pesquisaram p'ra você? Complemente sua pesquisa e solicite ao podcaster - via email - informações e uma simples avaliação sobre o serviço de hospedagem utilizado.
Tenho certeza que através de um bom conteúdo, qualidade de áudio, planejamento e distribuição adequada você conseguirá alcançar e fidelizar seus ouvintes - até a sua mãe!.

Sérgio Vieira - autor deste artigo além de pão-duro é um podcaster razoavelmente cuidadoso com os ouvidos de seus assinantes, tanto que anda pensando seriamente em adquirir um sistema de captação mais profiça (baratinho... de preferência).

http://impressoes.vocepod.com
idigitais@gmail.com

No comments: