Google+ Followers

Wednesday, August 08, 2007

I Dig it 035

Hoje é dia de Podcast Impressões Digitais Full, edição nº 35 de 27 de julho do ano gregoriano de 2007.

Money, Money - Liza Minelli e Joel Grey (Cabaret)

Money makes the world go around,
the world go around, the world go around,
Money makes the world go around,
it makes the world go round.
A mark, a yen, a buck or a pound,
a buck or a pound, a buck or a pound,
Is all that makes the world go around,
that clinking clanking sound,
Can make the world go round.
(money, money ...)
If you happen to be rich, and you feel like a night's entertainment,
You can pay for a gay escapade.
If you happen to be rich, and alone and you need a companion,
You can ring ting-a-ling for the maid.
If you happen to be rich and you find you are left by your lover,
Tho you moan and you groan quite a lot,
You can take it on the chin,
call a cab and begin to recover on your fourteen carat yacht.
(what?)
Money makes the world go around,
the world go around, the world go around,
Money makes the world go around,
of that we both are sure.
(Raspberry) On being poor,
(money, money ...)
When you haven't any coal in the stove and you freeze in the winter
And you curse to the wind at your fate.
When you haven't any shoes on your feet and your coat's thin as paper
And you look thirty pounds underweight,
When you go to get a word of advice from the fat little pastor,
he will tell you to love evermore.
But when hunger comes to rap, rat-a-tat, rat-a-tat, at the window
See how love flies out the door.
For money makes the world go around, the world go around,
the world go around.
Money makes the world go around,
the clinking, clanking sound
of Money, money, money, money,
Money, money, money, money,
Get a little, get a little,
Money, money, money, money,
Mark, a yen, a buck or a pound,
That clinking, clanking clunking sound
is all that makes the world go round,
It makes the world go round.


INTRO - A imprensa - como tudo nesta vida como políticos e oportunistas - possui seu lado negro (alguns chamam de marrom numa associação um tanto escatológica), mas o que se destaca mesmo é a estupidez (proposital ou não) no trato de nossa realidade tabajara...

Eu, entre incerto e pasmo, recolhido ao meu pequeno habitáculo pragmático só posso afirmar - frente à essa constatação - com toda a convicção do mundo, que tudo, mas tudo mesmo não passa de uma réles questão de partilha malfadada de cifrões... Lembre-se o que faz o mundo girar não são as forças gravitacionais e sim, como muito bem afirmou Nelson Piquet há algus anos atrás quando questionado sobre o que o fazia pilotar um fórmula um ele respondeu na bucha: "grana, é a grana".

OMDTM - A internet é fantástica, né?! Alguns acham que não... Para estes, a melhor solução para os problemas (atuais e futuros) da Internet é projetá-la do zero. Isso mesmo! Começar tudo de novo…

O governo estado-unidense, através da National Science Foundation, está desenvolvendo desde 2005 um ambiente inovador destinado puramente à pesquisa, chamado Global Environment for Network Innovations – GENI que permitirá aos desenvolvedores construir, aplicar e experimentar projetos e capacidades inovadoras para a criação da Internet do século 21. O GENI não é a próxima Internet, ele é apenas um ambiente de pesquisa de onde pode surgir uma nova Internet e outras tecnologias de comunicação, ou seja, os EUA acabaram de criar definitivamente – ao menos para os próximos 50 ou 100 anos – uma verdadeira mina de ouro.

OPDSM - Os Pensamentos do seu Milton, o guru do méier:

"Os teóricos do laissez-faire continuam ativos na esperança de que a lei da oferta e da procura (a oferta sempre controlada pelos poderosos - a procura sendo apenas uma conseqüência desse interesse) continue a engordá-los, ou a pagar o regime de emagrecimento de suas belas mulheres. Mas é fácil calar os que afirmam que a economia é um assunto particular entre produtores e consumidores perguntando-lhes se o assassinato também é um affair particular entre assassino e assassinado." - Diálogo com Ivan Lessa diante de um programa de televisão em cores, em 1972.

CNR - Eu não consigo resistir e me arrisco a perder alguns assinantes... Sublimando todos os conceitos musicais e com um destemor interpretativo apavorante, a incrível Sonia Rocha nos brinda com uma homenagem (?!!) aos roqueiros verde-amarelos. Faça o downbload deste Impressões Digitais e confira a canção Tributo aos Roqueiros.

(CNR complemento) - Consegui um áudio institucional de 1970, sobre o Programa de Saneamento da Grande São Paulo, espécimen representativo daquilo que chamo de maniqueísmo político-administrativo na sanha arrecadadora. Pois, em um país em que covardia explícita é acolhida como prudência, falsidade é aplaudida como habilidade política, escapismo fiscal é considerado esperteza, e mentira deslavada é considerada ato falho... nada como um reclame estatal que enaltece as boas intenções de mais uma taxa.

EAIQAUP - Nada pior que amplificar-se ao extremo a comoção causada por um desastre onde - de uma só vez - quase duzentas vidas são ceifadas para embasar comentários sócio-políticos (ambos partidários).

Eu sei, eu sei... ninguém agüenta mais ouvir falar de Airbus, Congonhas, TAM... mas meu lado gaiato observando nossa estrutura jurídica, legislativa, executiva, as atitudes de órgãos como ANAC, Infraero, companhias aéreas remanescentes das tramóias dos anos 90 e, principalmente, a fala de alguns decisores destas entidades, fica patente p´ra mim que as reuniões entre estes próceres da eficácia e eficiência poltica-administrativa são como o diálogo abaixo:

Who’s On First
By Abbott and Costello

Abbott: Well Costello, I'm going to New York with you. The Yankee's manager gave me a job as coach for as long as your on the team.
Costello: Look Abbott, if your the coach, you must know all the players.
Abbott: I certainly do.
Costello: Well you know I've never met the guys. So you'll have to tell me their names, and then I'll know who's playing on the team.
Abbott: Oh, I'll tell you their names, but you know it seems to me they give these ball players now-a-days very peculiar names.
Costello: You mean funny names?
Abbott: Strange names, pet names...like Dizzy Dean...
Costello: His brother Daffy
Abbott: Daffy Dean...
Costello: And their French cousin.
Abbott: French?
Costello: Goofe'
Abbott: Goofe' Dean. Well, let's see, we have on the bags, Who's on first, What's on second, I Don't Know is on third...
Costello: That's what I want to find out.
Abbott: I say Who's on first, What's on second, I Don't Know's on third.
Costello: Are you the manager?
Abbott: Yes.
Costello: You gonna be the coach too?
Abbott: Yes.
Costello: And you don't know the fellows' names.
Abbott: Well I should.
Costello: Well then who's on first?
Abbott: Yes.
Costello: I mean the fellow's name.
Abbott: Who.
Costello: The guy on first.
Abbott: Who.
Costello: The first baseman.
Abbott: Who.
Costello: The guy playing...
Abbott: Who is on first!
Costello: I'm asking you who's on first.
Abbott: That's the man's name.
Costello: That's who's name?
Abbott: Yes.
Costello: Well go ahead and tell me.
Abbott: That's it.
Costello: That's who?
Abbott: Yes.
...
Costello: Look, you gotta first baseman?
Abbott: Certainly.
Costello: Who's playing first?
Abbott: That's right.
Costello: When you pay off the first baseman every month, who gets the money?
Abbott: Every dollar of it.
Costello: All I'm trying to find out is the fellow's name on first base.
Abbott: Who.
Costello: The guy that gets...
Abbott: That's it.
Costello: Who gets the money...
Abbott: He does, every dollar of it. Sometimes his wife comes down and collects it.
Costello: Who's wife?
Abbott: Yes.
...
Abbott: What's wrong with that?
Costello: Look, all I wanna know is when you sign up the first baseman, how does he sign his name?
Abbott: Who.
Costello: The guy.
Abbott: Who.
Costello: How does he sign...
Abbott: That's how he signs it.
Costello: Who?
Abbott: Yes.
...
Costello: All I'm trying to find out is what's the guys name on first base.
Abbott: No. What is on second base.
Costello: I'm not asking you who's on second.
Abbott: Who's on first.
Costello: One base at a time!
Abbott: Well, don't change the players around.
Costello: I'm not changing nobody!
Abbott: Take it easy, buddy.
Costello: I'm only asking you, who's the guy on first base?
Abbott: That's right.
Costello: Ok.
Abbott: Alright.
...
Costello: What's the guy's name on first base?
Abbott: No. What is on second.
Costello: I'm not asking you who's on second.
Abbott: Who's on first.
Costello: I don't know.
Abbott: He's on third, we're not talking about him.
Costello: Now how did I get on third base?
Abbott: Why you mentioned his name.
Costello: If I mentioned the third baseman's name, who did I say is playing third?
Abbott: No. Who's playing first.
Costello: What's on base?
Abbott: What's on second.
Costello: I don't know.
Abbott: He's on third.
Costello: There I go, back on third again!
...
Costello: Would you just stay on third base and don't go off it.
Abbott: Alright, what do you want to know?
Costello: Now who's playing third base?
Abbott: Why do you insist on putting Who on third base?
Costello: What am I putting on third.
Abbott: No. What is on second.
Costello: You don't want who on second?
Abbott: Who is on first.
Costello: I don't know.
Together: Third base!
...
Costello: Look, you gotta outfield?
Abbott: Sure.
Costello: The left fielder's name?
Abbott: Why.
Costello: I just thought I'd ask you.
Abbott: Well, I just thought I'd tell ya.
Costello: Then tell me who's playing left field.
Abbott: Who's playing first.
Costello: I'm not...stay out of the infield!!! I want to know what's the guy's name in left field?
Abbott: No, What is on second.
Costello: I'm not asking you who's on second.
Abbott: Who's on first!
Costello: I don't know.
Together: Third base!
...
Costello: The left fielder's name?
Abbott: Why.
Costello: Because!
Abbott: Oh, he's center field.
...
Costello: Look, You gotta pitcher on this team?
Abbott: Sure.
Costello: The pitcher's name?
Abbott: Tomorrow.
Costello: You don't want to tell me today?
Abbott: I'm telling you now.
Costello: Then go ahead.
Abbott: Tomorrow!
Costello: What time?
Abbott: What time what?
Costello: What time tomorrow are you gonna tell me who's pitching?
Abbott: Now listen. Who is not pitching.
Costello: I'll break your arm if you say who's on first!!! I want to know what's the pitcher's name?
Abbott: What's on second.
Costello: I don't know.
Together: Third base!
...
Costello: Gotta a catcher?
Abbott: Certainly.
Costello: The catcher's name?
Abbott: Today.
Costello: Today, and tomorrow's pitching.
Abbott: Now you've got it.
Costello: All we got is a couple of days on the team.
...
Costello: You know I'm a catcher too.
Abbott: So they tell me.
Costello: I get behind the plate to do some fancy catching, Tomorrow's pitching on my team and a heavy hitter gets up. Now the heavy hitter bunts the ball. When he bunts the ball, me, being a good catcher, I'm gonna throw the guy out at first. So I pick up the ball and throw it to who?
Abbott: Now that's the first thing you've said right.
Costello: I don't even know what I'm talking about!
...
Abbott: That's all you have to do.
Costello: Is to throw the ball to first base.
Abbott: Yes!
Costello: Now who's got it?
Abbott: Naturally.
...
Costello: Look, if I throw the ball to first base, somebody's gotta get it. Now who has it?
Abbott: Naturally.
Costello: Who?
Abbott: Naturally.
Costello: Naturally?
Abbott: Naturally.
Costello: So I pick up the ball and I throw it to Naturally.
Abbott: No! You don't you throw the ball to Who.
Costello: Naturally.
Abbott: That's different.
Costello: That's what I said.
Abbott: Your not saying it...
Costello: I throw the ball to Naturally.
Abbott: You throw it to Who.
Costello: Naturally.
Abbott: That's it.
Costello: That's what I said!
Abbott: You ask me.
Costello: I throw the ball to who?
Abbott: Naturally.
Costello: Now you ask me.
Abbott: You throw the ball to Who?
Costello: Naturally.
Abbott: That's it.
Costello: Same as you! Same as YOU!!! I throw the ball to who. Whoever it is drops the ball and the guy runs to second. Who picks up the ball and throws it to What. What throws it to I Don't Know. I Don't Know throws it back to Tomorrow, Triple play. Another guy gets up and hits a long fly ball to Because. Why? I don't know! He's on third and I don't give a darn!
Abbott: What?
Costello: I said I don't give a darn!
Abbott: Oh, that's our shortstop.
THE END


Antropofagicamente, nossa sociedade aparentemente urbanóide e pós-moderna, mas ainda ingênua e sertaneja tal qual um macunaíma relaxou e foi gozosamente arrastada pelo eterno mito de uma Yara plenipotenciária e burocrática para as profundezas de um afogante rio de marasmo e inanição...

Poesia numa hora dessas? - de Sérgio (êita nome supimpa, sô!) Porto - também conhecido como Stanislaw Ponte Preta ou Laulau
Para completar a imagem que faço de toda esta barafunda sociológica, lanço mão do poema que sustenta o mais espetacular samba-enredo da história musical brasileira, pois ele resume o que nós somos, histórica e metafisicamente falando, em alguns crus e satânicos versos.

Samba do Crioulo Doido (Sergio Porto - vulgo Stanislaw Ponte Preta, 1968)

Foi em Diamantina,
Onde nasceu JK,
Que a princesa Leopoldina,
Arresolveu se casá,
Mas Chica da Silva,
Tinha outros pretendentes,
E obrigou a princesa,
A se casar com Tiradentes,
Lá iá lá iá lá ia,
O bode que deu vou te contar,
Lá iá lá iá lá iá,
O bode que deu vou te contar,
Joaquim José,
Que também é,
Da Silva Xavier,
Queria ser dono do mundo,
E se elegeu Pedro II,
Das estradas de Minas,
Seguiu pra São Paulo,
E falou com Anchieta,
O vigário dos índios,
Aliou-se a Dom Pedro,
E acabou com a falseta,
Da união deles dois,
Ficou resolvida a questão,
E foi proclamada a escravidão,
E foi proclamada a escravidão,
Assim se conta essa história,
Que é dos dois a maior glória,
Dona Leopoldina virou trem,
E Dom Pedro, é uma estação também...
O, ô , ô, ô, ô, ô,
O trem tá atrasado ou já passou,
O, ô , ô, ô, ô, ô,
O trem tá atrasado ou já passou...


No rescaldo desta bagunça política-administrativa detonada pela explosão do Airbus em Congonhas em 17 de julho, ainda fumegantes, pode-se retirar - além da dor, do luto e da solidariedade para com as famílias que perderam os seus - algumas lições valiosas:

1. Há capacidade técnica e organizada, sim, aqui em Sampa para combater um incêndio de grandes proporções e para análise médica legal;
2. As companhias aéreas e entidades relacionadas à gestão de suas atividades possuem padrão muito aquém do incompetente para questões emergenciais, pois comprovaram-se inexistentes;
3. O Governador de São Paulo ´tá louquinho para demonstrar publicamente sua fictícia capacidade de liderança, visando as próximas eleições.
4. A imprensa brasileira demonstrou, de forma crua e nua seu viés tendencioso e apaixonado... julgando e acusando todos e qualquer um à revelia de comprovação factual. O mais interessante, foi que ninguém disse nada sobre as pressões e manipulações do duopólio TAM-GOL e das relações esquisitas entre estes e os silentes deputados e senadores... que ajoelhados ainda agradecem a burrice jornalística.
5. Vários políticos não deveriam abrir a boca. Desastrosamente falaram o que quiseram e desde então desapareceram, sumiram, tão na muda... Na maioria para não perder a chance de manter as benesses, outros para serem relaxadamente esquecidos... Outros menos votados, ou melhor nem votados, simples aspone-mor e aspones de aspones apenas, utilizaram linguagem de surdo-mudo e, agora, nem abrindo a boca conseguem se safar do enterro político.
6. A capacidade técnica da aeronáutica precisa, urgentemente, ser atualizada. Ela deve abandonar o uso do francês imprescindível para estudo dos manuais do 14-bis e passar a utilizar a língua inglesa para conseguir distinguir uma caixa-preta (que é laranja e possui escrito em sua parte externa a frase "Fly Recorder - Do Not Open") de um pedaço de painel plástico calcinado.
7. Nada como pegar a classe média-alta no contra-pé do conforto isolado pelo alto valor monetário para haver uma barulheira dos infernos nos status quo políticos e jornalísticos...
8. No último feriado prolongado de 3 dias, nas estradas brasileiras morreram um Airbus da TAM e meio e ficaram feridas mais de 3 Airbus da TAM, e eu não vi nenhum repórter de TV apoplético, espumando; ninguém esganiçadamente pedindo, no parlatório, a cabeça de algum ministro; a imprensa deve ter colocado uma notinha de 3 linhas... Não vi nenhuma manifestação de familiares e amigos das vítimas nos pedágios...
9. E, finalmente, porém não exaurindo o tema, não pode-se esquecer as nossas valorosas companhias aéreas. Elas comprovaram a existência de um novo modelo de negócio e serviços: o fuck-yourself.

Como a vida se fia pelo constante aprendizado da única coisa inevitável de seu desenrolar, ou seja, a morte, minha sensível visão - um tanto gaiata e pragmática - se arrisca a uma homenagem a todas as vítimas - falecidas ou não - do vôo TAM JJ 3054.

Volare - Dean Martin

Volare, oh oh
Cantare, oh oh oh oh
Let's fly way up to the clouds
Away from the maddening crowds
We can sing in the glow of a star that I know of
Where lovers enjoy peace of mind
Let us leave the confusion and all disillusion behind
Just like bird of a feather, a rainbow together we'll find
Volare, oh oh
E cantare, oh oh oh oh
No wonder my happy heart sings
Your love has given me wings
Penso che un sogno cosi non ritorni mai piu
Mi dipingevo le mani e la faccia di blu
Poi d'improvviso venivo dal vento rapito
E incominciavo a volare nel cielo infinito
Volare, oh oh
E cantare, oh oh oh oh
Nel blu, dipinto di blu
Felice di stare lassu
E volavo, volavo felice piu in alto del sole ed ancora piu su
Mentre il mondo pian piano spariva lontano laggiu
Una musica dolce suonava soltanto per me
Volare, oh oh
E cantare, oh oh oh oh
No wonder my happy heart sings
Your love has given me wings
Nel blu, dipinto di blu
Felice di stare lassu


DDBC - Em toda mudança algo se ganha, algo se perde... e as coisas ficam uma pouco bagunçadas até se ajeitarem novamente. A página do Impressões Digitais agora é gerida pelo WordPress... minhas sinceras desculpas pelo transtorno. Se alguém tiver algum problema ainda manda um email para idigitais@gmail.com

A campanha cidadã Congresso 2010 continua a mil: Não deixe seu representante esquecê-lo, envie idéias, sugestões, palpites...
ATÉ AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES, ENCHA O SACO DE SEU REPRESENTANTE!

Música do I Dig - Só p´ra encerrar este podcast sobre essa irônica e generalizada geléia sócio-cultural globalizada.

Money - Pink Floyd (The Dark Side of the Moon)

Money, get away.
Get a good job with good pay and you´re okay.
Money, its a gas.
Grab that cash with both hands and make a stash.
New car, caviar, four star daydream,
Think I´ll buy me a football team.
Money, get back.
I´m all right jack keep your hands off of my stack.
Money, its a hit.
Don´t give me that do goody good bullshit.
I´m in the high-fidelity first class traveling set
And I think I need a lear jet.
Money, its a crime.
Share it fairly but don´t take a slice of my pie.
Money, so they say
Is the root of all evil today.
But if you ask for a raise it´s no surprise that they´re
Giving none away.

Huhuh! I was in the right!
Yes, absolutely in the right!
I certainly was in the right!
You was definitely in the right. that geezer was cruising for a
Bruising!
Yeah!
Why does anyone do anything?
I don´t know, I was really drunk at the time!
I was just telling him, he couldn´t get into number 2, he was asking
Why he wasnt coming up on freely, after I was yelling and
Screaming and telling him why he wasn´t coming up on freely.
It came as a heavy blow, but we sorted the matter out


BackGround - Rhapsody on a Theme of Paganini (Sergei - êita nome supimpa, sô - Rachmaninoff); e Concerto #1, Romeo and Juliet Love Theme, Swan Lake (Pyotr Ilyich Tchaikovsky)

1 comment:

Ricardo said...

Sergio, parabéns pelo magnífico IDig 035. Confesso que o início nem me empolgou muito, embora lembre da música da Lisa Minelli por conta da propaganda da Wölner (fábrica de calças, acho), e do Joel Gray por conta de ver ele num episódio dos Muppets (Mahna-mahna!).

Mas depois ficou ainda + legal. O seu Milton tem tiradas fenomenais, a música da Sonia Rocha foi hilária. Ri à beça. Sobre seus comentários sobre a queda do avião da TAM, eu concordo com tudo, e acrescentaria: Pq o Serra ainda n se manifestou sobre o buraco do Metrô, em Pinheiros, e se manifestou rapidinho sobre a queda do avião?

Abbott e Costello foi muito engraçado, pena que meu inglês enferrujado não pegou muito além de algumas falas (eles tagarelam muito rápido). E o "Samba do Crioulo Doido", que eu nunca tinha lido a letra mas conhecia de ouvir falar... Sensacional. "Volare" é para o meu pai, confesso que avancei esse trecho. Sempre lembro do Dean Martin como o parceiro do Jerry Lewis, não como cantor...

Mas o fechamento, com "Money", do PF, me fez colocar o som do carro nas alturas, e atravessar a Ponte Rio-Niterói cantando junto com o David Gilmour. Eu ouço muito podcasts no carro, e aí, como bom fã do Pink Floyd... Já viu. Cheguei na faculdade até + leve, a aula fluiu até + fácil... Valeu!

Em resumo, um podcast ainda melhor do que a média (já ótima) que você mantém. Parabéns! Na próxima vez que eu for a SP com tempo (eu vou semana que vem, mas é corrido), eu vou me atrever a te convidar para tomar um refrigerante, e trocar dois dedinhos de prosa.

[]ão, Ricardo.

PS: Meu pai tb se chama Sergio - êita nome supimpa, sô! Só q o dele é s/ acento, n notei se o seu é.

PS 2: Parece bobeira, mas eu preferia quando você falava a data citando "o ano da graça de", ao invés do "ano gregoriano". Coisa besta, de matemático e cristão protestante metido a intelectual e filósofo. Afinal, matemática tem + semelhança com filosofia do q c/ ciência... Mas isso discutimos depois.