Google+ Followers

Sunday, October 19, 2008

I Dig it 046

Hoje é dia de Podcast Impressões Digitais em sua quadragésima-sexta - versão Compacto Duplo.

INTRO: Na seção Homo Sapiens do Impressões Digitais Versão Acústica, vou abordar os acontecimentos do século 17, neste que é o terceiro de sete episódios da série Estórias da História do Brasil.
Esta série foi parida a partir da sugestão de um caro parceiro, o Renato Castilho - agora produtor do podcast Viver Digital - que me incitou a desenvolver o tema “As estórias da História do Brasil“, cuja formatação buscou um modo diferente para expor algumas facetas não muito discutidas comumente e que compõem parte indelével da formação de nossa estrutura tupiniquim europeizada. Na realidade estou esboçando o ambiente histórico no qual se formou o nosso brasilzão-véio-de-guerra.

HOMO SAPIENS (ou Timeline):

1600: Giordano Bruno é queimado por heresia em Roma; iniciam-se em São Paulo as “bandeiras”, simples e pequenas expedições para captura de indígenas para servirem como escravos, e que serviram para iniciar o povoamento do sertão paulista. William Gilbert, na Inglaterra, escreve De Magnete, onde postula que a Terra comporta-se como um magneto com pólos norte e sul.
1603: Promulgação do Regimento das Minas, o primeiro ordenamento real para a exploração mineral no Brasil. Na Inglaterra Shakespeare publica Hamlet.
1604: Criação em Portugal do Conselho das Índias e Conquistas Ultramarinas.
1605: Início das medidas de controle sobre a permanência de estrangeiros em território português ultramarino, concessão de ampla liberdade aos índios, por provisão real, solenemente ignorada como atos posteriores. Cervantes publica o clássico Don Quixote.
1606: Concessão à Santa Casa do Rio de Janeiro dos mesmos privilégios e provisões da Santa Casa de Lisboa (volto a lembrar, quem administra as colônias portuguesas, no fim são os espanhóis). Na Holanda nasce o pintor Rembrandt.
1608: Nova divisão do Brasil. As donatarias abandonadas, foram reestruturadas pelo governo espanhol, que dividiu o Brasil em duas administrações: sul (incluindo Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Vicente) e norte, basicamente toda a costa pra cima de Vitória. Foral da vila de Angra dos Santos Reis da Ilha Grande, Rio de Janeiro (A Carta Foral estabelecia direitos e deveres particulares desses colonos, habitantes ou povoadores na vida municipal, exercício da Justiça, privilégios da terra, organização social e administrativa, etc.). Enquanto isso na Europa Hans Lippershey constrói o primeiro telescópio.
1609: Início do governo de Francisco de Sousa, sediado no Rio. Criação do Tribunal da Relação do Brasil em Salvador. Johannes Kepler (1571- 1630) publica Astronomia Nova.
1610: Fundação da primeira Missão jesuíta entre os guaranis no Paraguai. Galileu Galilei publica O Mensageiro das Estrelas.
1612: Reunificação administrativa do Brasil. Morre o compositor barroco Gabrieli nascido em 1557.
1614: Morre o pintor El Greco, nascido em 1541.
1615: Elevação à vila da antiga feitoria de Nossa Senhora da Assunção de Cabo Frio. Remanescentes da malfadada França Austral abandonam definitivamente o Brasil.
1616: É assinado o tratado de paz entre Holanda e Portugal. A igreja católica publica o édito contra as idéias de Copérnico.
1617: Provisão de Salvador Correia de Sá ordenando a abertura do caminho da costa até o rio Paraíba e exploração do sertão. Carta régia (espanhola, lembre-se) autoriza a todos os vassalos portugueses e pouquissimos espanhois a exploração das minas ainda a serem descobertas no Brasil.
1618: Eclode a Guerra entre a Reforma (protestantes) e a Contra-Reforma (católicos), conhecida como Guerra dos 30 anos.
1619: Primeiros escravos africanos chegam a América do Norte, na atual Virginia. Estabelecimento da Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Penitência no Rio. Kepler publica Harmonices mundi.
1620: Início do conflito entre jesuítas brasileiros e o Santo Oficio.
1621: Fundação da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais com privilégios comerciais para a África e América. Início do reinado de Filipe III de Portugal (ou seja, Filipe IV da Espanha, da dinastia de Habsburgo). Divisão do Brasil em Estado do Brasil e estado do Maranhão e Grão-Pará. Fundação dos primeiros engenhos de açúcar no Maranhão.
1624: O Brasil foi o primeiro alvo a ser atacado pelos holandeses. O primeiro ataque ocorreu com 1700 homens os holandeses invadiram a Bahia iniciando o conflito na região urbana, depois foram atraídos para regiões distantes, onde ficavam as instalações dos engenhos de cana-de-açúcar que funcionavam com a mão-de-obra escrava. Estes modelo de produção até então exclusivo dos portugueses despertou grande interesse aos holandeses.
1627: Início de povoamento dos Campos dos Goitacazes com introdução de pecuária, principalmente a partir de 1633.
1628: William Harvey (1578-1657) publica a obra "Sobre os movimentos do coração e do sangue".
1629: Bacon publica A Nova Atlântida.
1630: A Holanda quase sem resistência ocupa atual região de Pernambuco e faz da cidade do Recife seu centro administrativo-comercial e militar.
1631: Primeiro jornal do mundo ocidental é publicado em Paris.
1632: Galileu Galilei publica a obra "Dialogo a respeito dos dois sistemas que comandam o mundo" e em 1633 ele é condenado pela Igreja Católica por heresia.
1634: A Holanda conquista Curaçao na America Central.
1635: Os Franceses conquistam Martinica e Guadalupe.
1637: Começa a expedição de Pedro Teixeira do norte do Brasil até Quito (ele retornou em 1639 ano em que o Brasil holandes passa a ser administrado por Johan Maurits van Nassau-Siegen, administração que se estende até 1644. Na França, Rene Descartes publica o Discurso do Método.
1640: Eclode a revolta Portuguesa contra o domínio espanhol. Termina a União das Coroas ibéricas. É restaurada a monarquia portuguesa com aclamação de D. João IV, da Casa de Bragança.
1642: Criação do Conselho Ultramarino e dos conselhos da Consciência, Fazenda, Guerra, e Estado. Abolição dos monopólios régios nas Índias e Guiné, salvo o da canela. Decreto do monopólio do tabaco em favor da coroa. Morre Galileu Galilei.
1643: O rei de França Luis XIV sobe ao trono. Salvador Correia de Sá é indicado como governador e administrador geral das minas de São Paulo, com poderes independentes. Morre o compositor barroco Monteverdi nascido em 1567; O italiano Evangelista Torricelli inventa o barometro.
1645: Pascal inventa a 1ª calculadora mecânica.
1648: É assinado o Tratado de Westfalia (encerrando a Guerra dos 30 Anos).
1649: Charles I da Inglaterra é decapitado. Criação da Companhia Geral de Comércio do Brasil. Partida da primeira frota com destino ao Brasil de portugueses expulsos da Arábia e do Golfo Pérsico, por árabes ajudados por ingleses e holandeses.
1651: Hobbes publica Leviatã.
1652: Morre o compositor barroco Allegri nascido em 1582.
1652: Restabelecimento do Tribunal da Relação do Brasil em Salvador, suprimido pelos reis Filipes de Espanha. Extensão da autorização para entradas, ou seja estabelecimento, a todas as ordens religiosas e não mais apenas aos jesuítas.
1653: Nasce o compositor barroco Corelli. Na Inglaterra Cromwell é nomeado Lord Protetor da Coroa.
1654: Os Ingleses conquistam a Jamaica.
1657: Realmente a Holanda e Portugal não se entendem, um ataque holandês bloqueia Lisboa por três meses.
1658: É conferido a Salvador Correia o governo das capitanias do sul do Brasil com absoluta independência do governo da Baía.
1659: Após apenas 10 anos é extinta a Companhia Geral de Comércio do Brasil.
.1660: Morrem os pintores Rubens e Velasques; Pascal publica Pensamentos.
1661: Acordos de Londres e Haia - os holandeses reconhecem a perda do nordeste do Brasil. O povo de São Luís, Maranhão se revolta contra os jesuítas. Robert Boyle publica O Químico Cético.
1662: Salvador Correia parte para Lisboa. Robert Boyle desenvolve a teoria dos gases. É restaurada a monarquia inglesa - Charles II é coroado.
1664: Criação da Companhia Francesa das Índias. Os primeiros franceses em Caiena.
1665: Morre Filipe IV da Espanha. Newton e Leibniz independentemente inventam o cálculo integral e diferencial.
1666: Moliere publica O Misantropo. Instalação de estaleiro na Ilha Grande, Rio, para construção de fragatas, ágeis navios desenvolvidos pelos Holandeses. Ordem para envio de maior número de cavalos do Brasil para Angola. Epidemia de bexiga no Rio de Janeiro, Pernambuco e Bahia.
1667: Condenação do Padre Antônio Vieira a reclusão e silêncio. Na Inglaterra Milton publica o Paraíso Perdido.
1669: Requerimento da câmara municipal para que todos os anos viessem ao Rio de Janeiro três navios de Angola com escravos. Construído o forte de São José do Rio Negro, na confluência dos rios Negro e Solimões.
1671: Revolta dos Frades no Rio, Bahia e Pernambuco pela isenção de submissão aos prelados portugueses.
1673: Permissão de navegação transportando escravos negros.
1674: Publicação do regimento portugues para os armazéns da Guiné na África, Índias e ilhas Armadas. Criação da Junta do Tabaco.
1675: Criação da nova Província Religiosa do Rio de Janeiro com o nome de Imaculada Conceição.
1676: Elevação do Bispado da Bahia a Arcebispado Metropolitano do Brasil. Criação do Bispado do Rio de Janeiro, sufragâneo da Bahia pela bula papal Romani caravelascarros Solicitudo, de 22 de novembro, a qual também delimita a área entre o sertão do Espírito Santo e o Rio da Prata como diocesanos (!). Ole Christensen Romer (1644-1710) determina a velocidade da luz; Anton van Leeuwenhoek - descobre organismos vivos em uma gota dágua usando um microscópio de 200x.
1677: Racine publica Fedra; Spinoza publica Ética.
1678: Nasce o compositor Vivaldi; Christiaan Huygens (1629-95) expõe seu Traite de la lumiere, sobre a caracteristica ondulatória da luz. Instalação do Tribunal da Relação Eclesiástica na Bahia.
1679: Subordinação das capitanias do sul do Brasil ao governo do Rio de Janeiro.
1680: Criação da Colônia de Sacramento por Manuel Lobo, governador do Rio de Janeiro.
1681: Criação da Junta das Missões. Descoberta de pedras preciosas por Fernão Dias Pais Leme.
1682: Pedro I (o Grande) se torna tzar da Rússia.
1683: Coroação de D. Pedro II (sucessor de D. Afonso VI).
1685: Nascem os compositores J. S. Bach e Handel.
1686: John Ray publica Historia Planyarum onde classifica 18.600 diferentes espécies de plantas.
1687: Isaac Newton (1643-1727) publica Philosophiae Naturalis Principia Mathematica.
1690: Locke publica Dois Tratados de Governo; e também o Ensaio sobre a compreensão humana. É fundado o arraial de Sabará em Minas Gerais, pelos paulistas.
1691: Morre Salvador Correia de Sá. Voltando a Portugal em 1662, ele acabou criando inimizades a ponto de ser condenado ao degredo por 10 anos na África. À custa de muito dinheiro conseguiu que o deixassem ficar num convento, e depois que o deixassem ficar em sua casa em Santos, no litroal paulista, onde se conservou recluso. Ao final de sua vida foi solto, voltando ao lugar que lhe pertencia de membro do Conselho Ultramarino, até a morte aos 91 anos.
1694: É constituído o Banco da Inglaterra.
1695: O Quilombo dos Palmares, após quase 105 anos de existência, e tendo no apogeu 20 mil habitantes, é destruído por 6 mil homens e artilharia comandados pelo bandeirante contratado Domingos Jorge Velho.
1696: Nomeação do primeiro juiz de fora no Rio de Janeiro.
1697: Primeiras descobertas significativas de minas de ouro em Minas Gerais.
1698: Transferência da Casa da Moeda de Salvador para o Rio de Janeiro.
1699: Sujeição da Colônia do Sacramento ao Rio de Janeiro. O Império Otomano perde a guerra Astro-Otomana para a Liga Sagrada de 1684, formada pela monarquia dos Habsburg, a comunidade polaca, a república de Veneza e Pedro I da Rússia; em cosequência, pelo Tratado de Karlowitz, os otomanos entregam a Hungria aos vencedores. Este fato é considerado o início definitivo declinio do Império Otomano que ao longo do século sofreu profundas deteriorações devido aos conflitos ao longo de toda suas enormes fronteiras, grandes disensões internas de poder e enorme corrupção.
1700: Proibição de passagem de mestres, oficiais e escravos para Minas Gerais.

No século 17, o Brasil, mesmo dinasticamente sob domínio de Espanha por quase meio século, teve sua identidade portuguesa definitivamente consolidada. A expansão do poder eclesiástico na colônia e a miscigenação das raças americanas, européias e africanas é irreversível, e enquanto essa mesma colônia sobrevive aos ataques dos indígenas, às rebeliões e fugas dos negros, às pestes e epidemias - enquanto arranca da cana a principal e quase única riqueza de suas extensas terras - na Europa, mesmo turbulenta, as ciências e as artes encontram os grandes mestres: Galileu Galilei, Sheakespeare, Cervantes, Rembrandt, Bacon, Descartes, Pascal, Hobbes, Corelli, Rubens, Velasques, Moliere, Racine, Newton, Locke... e muitos outros.
A relativa unidade sob a Republica Cristiana medieval já em colapso desde o início do século 16, castigada pelos avanços do Império Otomano na Europa oriental, foi sacudida ainda mais pela grande turbulência provocada pelo embate religioso-político das doutrinas de Lutero e Calvino, o qual levou à fragmentação do Cristianismo Latino, entre Católicos e Protestantes.
Os jesuítas, apesar de não concordarem com a escravidão dos indígenas, defendem ferreamente a escravidão dos africanos, e conseguem implementar toda a agenda católica de co-gestão do poder atuando na dominação catequista e social da colônia.
Aas ciências e as artes florescem de forma estupenda na Europa Ocidental. Países como Holanda e França decidem intensificar suas ações de invasão dos territórios portugueses para criar uma nova rota comercial atlântica, pois Portugal já havia consolidado o domínio das costas africanas...
Portugal e Holanda se enfrentam também em Angola e na Europa, o comércio de escravos da África se intensifica, sustentando a ampliação comercial e populacional do interior do Brasil, tanto ao sul como ao norte.
A partir do último quarto de século o poder da Igreja Católica se fixa finalmente - com toda uma hierarquia e suporte eclesiático estruturados - em um Brasil que também já possui uma divisão administrativa sólida e afinada com os planos de expansão do território, os quais permitem as explorações, povoamentos e descobertas de pedras preciosas. Na Europa oriental a Liga Sagarada enfrenta os otomanos e reconquistam a posse da Hungria.
O quilombo dos palmares - que durante todo os século 17 abrigou escravos fugitivos - é aniquilado pels forças contratadas pela administração portuguesa.

1 comment:

Renato Castilho said...

Eu fico imaginando que daqui a uns 400 anos vai ter um outro "Sérgio Vieira" relatando os acontecimentos do século XX e XXI, assim como você hoje está relatando os fatos históricos de 400 anos atrás e com isso o seu Impressões Digitais está contribuindo para a perpetuação da nossa história, já pensou nisso? A sua voz saiu do micro para entrar para a história!

Esta série está realmente muito boa, tenho aprendido coisas que nunca tinha ouvido falar antes.

Renato.