Google+ Followers

Monday, May 11, 2009

I Dig it 055

Hoje é dia de Podcast Impressões Digitais Full, edição nº 55 de 30 de abril do ano gregoriano de 2009.

Intro: Neste Impressões Digitais eu saio perambulando pelas rupturas evolutivas da sociedade humana, estas causadas pelos saltos da tecnologia de comunicação e acabo na Sociedade do Conhecimento, onde alguns de seus habitantes vagam pela web com a desenvoltura de um peixe no mar, enquanto outros nem sabem o que é um computador pessoal.

O Manual Do Torneiro Mecânico: A linguagem da web 2.0 é desconhecida da grande maioria de humanos, os quais ainda vivem em pleno século 20. É estranho, mas facilmente verificável. Desliga o wi-fi e o 3g e olhe em volta! Certo que estamos a 10% do século 21, mas mesmo os usuários de uma internet veloz e onipresente podem ser deparados entre salsinhas, usuários constantes e heavy-users...
Estes últimos deitam e rolam em inúmeros canais inovadores da web, saciando quase plenamente suas necessidades e retro-alimentando o mecanismo de evolução de produtos e serviços voltados ao consumo.
Porém, o mais relevante do observado nesta relação avançada usuário-web é o alto volume e a gratuidade destes serviços. Gratuidade esta que, se não define, suporta o novo paradigma da nova economia.
A comercialização calcada nos suportes físicos e palpáveis do século 20 não pode ser simplesmente transferida para o mundo digital e etéreo da distribuição de bits. O custo do material esvaneceu-se na internet...
Pena que os serviços gratuitos ou de baixíssimo custo disponíveis na internet atual são completamente inacessíveis à uma grande faixa de usuários, por pura falta de estofo ou repertório, ou ainda por barreiras culturais e financeiras. E se um grupo cultural se isola do andamento tecnológico da vanguarda humana, ele vai se tornando cada vez mais apegado às tradições pseudo-funcionais, às estruturas simplistas e a às crenças míticas.

Os Pensamentos Do Seu Milton: Assim que os tipos móveis se provaram como uma revolução na arte de imprimir, imediatamente os meios de produção se apoderaram deles e os colocaram a seu serviço. Isto é, a imprensa, logo ao nascer, não foi um meio de ampliação da cultura mas apenas um modo de filtrar para o maior número de indivíduos o tipo de informação que interessava à classe dominante. Passou não apenas a ser uma forma de divulgar mentiras como, como também de ocultar toda a verdade que não interessasse aos poderoso. Gutemberg, em verdade, não inventou a imprensa. Inventou a imprensa marrom.

Caiu Na Rede: A Daphne Kalfon, que já apareceu por aqui na 4a. e na 25a. edições com canção I Love my Mac e I love my Ipod, fez mais que uma uma elegia à marca:

Rapplistory, a estória da Apple em rithm and poetry.

Once upon a time
there came together two minds
they were both called Steve
and with their talents would achieve
a real milestone
in technology
the first personal computer
in our history
it was 1976
the price six hundred sixty-six
they built two hundred in all
but soon the first Apple would fall
to make way for the next
a new machine with more finesse
but there was just one catch
and that was how to get the cash
M. Markkula
he co-signed a loan
thus was born Apple Computer
and a third of it he owned
once you get a mac
there’s never going back
it’s all you ever want to own
puts your mind in the zone
there were problems down the line
it was a turbulent time
there was unrest in the ranks
and tribulation with the banks
1984
Apple was breaking down the door
to make a comeback
with somethin’ called the Mac
they got a hold of Ridley Scott
and bought a Superbowl spot
it was a marketing smash
innovative news splash
and things really got cozy
when they hooked up with Adobe
was a perfect kind of match
DTP would hatch
1985
Stevie got outta line
things were gettin’ real crazy
he was asked to resign
from his own company
how could that be
but it really did happen
and I hope no one’s laughin’
he was feeling quite dejected
from having been rejected
but it soon turned out to be
the thing that helped to set him free
to buy Pixar
and found the company NeXT
he was doing what he loved
and it was all for the best
once you get a mac
there’s never going back
it’s all you ever want to own
puts your mind in the zone
and as the apple tree grew
from the Apple number two
came forth the Apple II c
and then the Apple II g
and the Mac pack
was its own family
with the Mac Plus, II, SE
the Classic and the LC
PowerBook
in 1991
was a landmark product
a new chapter had begun
Apple was doin’ really well
everybody feelin’ swell
but they needed to upset
the IBM PC threat
so they came out with the Quadra
the Centris and Performa
but they didn’t do so well
they lost a lot of clientele
so in 1994
they knocked at IBM’s door
and came the Power Macintosh
it was a beauty oh my gosh!
and the Newton
the first PDA
it didn’t do so great
but the idea was here to stay
then in 1996
they were in need of a fix
so they brought the Steve back
to get the Apple on track
and bought his company NeXT
it would become the new OS
they made him CEO
he was in charge of the show
it was a real fine move
it would help to prove
that he had all it would take
to reclaim the Apple stake
once you get a mac
there’s never going back
it’s all you ever want to own
puts your mind in the zone
get the iMac
it was a real mac attack
the Mac was getting on track
sophisticated comeback
in came the iBook
and the Power Mac G4
everybody take a look
how about the new AirPort
two thousand one
enter the Mac OS X
what a beautiful thing
well you can say that again
behold the iPod, Powerbook
the Power Mac G5
it was clear for all to see
Apple was very much alive
they got their very own store
they’d never had one before
now they could get with the biz
well you know how it is
with the iTunes Store
Apple is right at the fore
of a new way to the music
and the way we’re gonna use it
and it’s growing by the day
as a revolutionary way
to get your movies and TV shows
podcasts and videos
lookin’ swell Macintels
bootcamp and parallels
pullin’ out the masses
from the Microsoft molasses
what’s on Apple TV?
everything you wanna see
that’s on your Mac or your PC
now it’s on the big screen
iWork, iLife
everything to make it fun to
digitize, harmonize
capitalize and organize
iPhone
Apple’s done it again
this pioneering product
gets a ten out of ten
it’s a household name
things‘ll never be the same
just one more thing to say
Apple Inc. is here to stay!
iTouch
Leopard
and if you want anymore you can sing it yourself

É A Ignoranssa Qui Astravanca U Porgréssio: O homem age transformando o presente e o futuro através da tecnologia que não substitui, pura e simplesmente, uma outra técnica. Mas, soluções tecnológicas inovadoras no campo da comunicação podem provocar uma ruptura dramática no status quo social, econômico e filosófico em um curto espaço de tempo.
Da oralidade para a escrita, da escrita para a tipografia, desta para a rádiodifusão e sua derivada a televisão, até chegarmos ao par internet - web. A cada uma dessas introduções tecnológicas a humanidade mudou, e muito!
A afirmação de Lévy-Strauss que uma técnica não surge para substituir a outra, que as tecnologias de comunicação ocupam o mesmo território, sendo utilizadas pelas sociedades globalizadas ao mesmo tempo, simultaneamente - é plenamente válida, mas não quantifica o impacto da ruptura causada por uma inovadora forma de comunicação. Por exemplo: nas últimas décadas do século passado verificou-se que as extensões uni-direcionais - propiciadas pelo rádio e pela TV para a Sociedade da Informação - ficaram ultrapassadas com o advento dos computadores pessoais. Com a abertura da web comercial, o homem comum - além de acessar bases de conhecimento compartilhadas em tempo real - atua direta e globalmente tanto em ações criativas como de interação sócio-econômicas.
Isso tudo nos faz pensar na necessidade urgente de se restruturar os processos de ensino que molda a nova Sociedade, agora não mais da Informação, mas do Conhecimento. Lembro o parentesco que há entre o computador e os outros meios de comunicação, principalmente a escrita. E ao mesmo tempo enfatizo o perigo que esse parentesco carrega em si, pois um atrelamento total e exclusivo aos paradigmas desta tecnologia passada obliteram o que a Sociedade do Conhecimento exige intrinsecamente do indivíduo: ou seja, a total inserção e auto-controle de suas extensões sensoriais através de um novo meio - o digital - maximizando suas ações humanas.

Diário de Bordo: para maiores informações sobre o substitutivo de Lei que define regras para a Internet, aquele emaranhado doido que está para votação na Câmara dos Deputados agora veja o blog do Sérgio (êita nome supimpa!) Amadeu.
A campanha cidadã Congresso 2010 continua: Não deixe seu representante esquecê-lo, envie idéias, sugestões, palpites... enfim, encha o saco dele!
ATÉ AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES, ENCHA O SACO DE SEU REPRESENTANTE!
Faça como o pessoal do movimento ADOTE UM VEREADOR aqui de São Paulo, que esta fazendo isso mesmo... questionando, solicitando informações, cobrando posicionamentos claros e exigindo ações do vereador adotado...
Veja mais informações no site vereadores.wikia.com

Jazz em Paz: Always and Forever (Pat Metheny)

BackGround: Neste Impressões apenas Pat Metheny (do album Secret Story de 1992) - Cathedral In a Suitcase; Antonia; The Longest Summer; Sunlight; Rain River; See the World; As a Flower Blossoms.

No comments: