Google+ Followers

Monday, August 03, 2009

Kronos


Quando a gente chega aos 40 anos aquele desespero: "entrei nos ´enta´ e provavelmente dele não saio vivo...". Mas como eu já passei por isso há mais de uma década, posso, de forma lacônica e tranquila afirmar: é verdade, muda tudo!

Você, incauto, quase que num passe de mágica, constata que é apenas um mortal (mais experiente, mas ainda um réles mortal), que os anos passam cada vez mais rapidamente, que boa parte de sua vida foi um flanar entre um porre e outro, que sua filhinha que agora mesmo estava na pré-escola de caipirinha na festa junina anda se maquiando e usando sutiã, que aquela barriguinha celeremente se torna um barrigão, que uns tufos de pelos insistem em crescer nos lugares mais estranhos de sua cara, que outros pelos desaparecem ou branqueiam em lugares bem visíveis... ou seja, cai a ficha da finitude, assim - páá! - na sua frente. Err... a bem da verdade no seu espelho.

Aquilo que antes era uma continuidade gostosa da jovialidade do "vamos nessa que é bom à beça" sem limites, das festas e noitadas se fim, "sem eira, nem beira", passa a ser em um primeiro momento de impacto o: "Ôôô... peraí!? O que eu tô fazendo?!

E dá-lhe parar de fumar, e dá-lhe procurar um médico "pra uma revisão dos 40.000", e a indefectível pergunta: exame de próstata só aos 50 né Dr.?! Mais uma despesa no cartão de crédito com a mensalidade da academia ou com o material pro jogging...

Nos prazeres gastronômicos então, as mudanças são astronômicas! Redução drástica - quase que total, quase... afinal ninguém é santo assim - de picanhas sanguinolentas com a gordurinha tostadinha e torresminhos (também conhecidos como entope-veia) verduras e legumes cozidos passam a fazer parte obrigatória da dieta, assim como tudo que possua zero colesterol. Substituição do filé à parmeggiana semanal por um grelhado. Vire-e-mexe a esposa faz um filezinho de frango ou de peixe, porque não se pode bobear com as taxas, né?! Enfim, sai a churrasqueira e entra o George Foreman. Nada de caipirinha, uísque e cerveja no fim de semana (tudo de uma vez), happy hour todo dia? Nem pensar! Apenas uma vez por semana, e olhe lá! E por essa via crucis o quarentão novato segue adiante...

O mundo do quarentão repentinamente toma uma choque de realidade e, principalmente, de qualidade: tudo o que antes era calcado na quantidade, pro quarentão passa a ser excessos da juventude.

O quarentão passa ao longo de sua quarentice a primar pela excelência da qualidade, torna-se cada vez mais exigente em todos os aspectos de seu dia-a-dia, com os serviços, com os produtos, com as mulheres, até com o seu próprio paladar! Faz cursos de barista, de somelier até.

A vida social passa a coadunar agora libações comedidas em horários civilizados. Nada de sair as 22h pra jantar e dar uma esticada numa casa noturna, no máximo um teatro as 20h e um jantar. Ás vezes um drink e papo ameno no piano bar e cama que amanhã de jogo de tênis.

A vida do quarentão desacelera e ele passa a aproveitar cada minuto, cada viagem, cada encontro. Ele reestrutura seus seguros, ajusta as finanças para os filhos terem uma vida melhor, passa a ser menos afoito no sexo (esse negócio de atletismo na cama é pra garoto de 20 e poucos), ou seja, ele re-arranja seu ritmo para uma segunda etapa mais longa e classificada como equilibrada.

Alguns ficam mais calhordas, outros mais estúpidos, outros mais desatentos, outros mais piegas... Eu tive a sorte de ficar mais exigente com a estudipez e muito mais atento às minhas inquietudes, e assim mais suave com a vida.

Fazer quarenta é sinal sim de que envelhecemos. E quer saber de uma coisa? Isso faz um bem danado.



Música para acompanhar o post: Oração ao Tempo - Caetano Veloso

És um senhor tão bonito

Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo

Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo

O que usaremos pra isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo.