Google+ Followers

Thursday, December 16, 2010

Se cobrir é circo, se cercar é hospício...

Olha só que beleza são nossos "representantes", na maior cara dura legislam em causa própria e o povo que se lasque! Como já disse Chico Buarque em outras épocas: 

"Uns dias chove, noutros dias bate sol. Mas o que eu quero é lhe dizer é que a coisa aqui tá preta..."

:

53a. LEGISLATURA -  QUARTA SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA
 - SESSÃO EXTRAORDINÁRIA Nº 224 - 15/12/2010

Proposição: REQ Nº 7575/2010 - REQUERIMENTO DE URGÊNCIA (PDC 3036/2010) - Nominal Eletrônica

Início da votação: 15/12/2010 12:51
 - Encerramento da votação: 15/12/2010 14:45

Presidiram a Votação: Inocêncio Oliveira 

Resultado da votação: Sim: 279 - Não: 35 - Abstenção: 3 - Total da Votação: 317 (62% do total de 513 deputados)


Orientação LIDERANÇAS: SIM (PMDB, PTC, PT, PSDB, DEM, PSB, PCdoB, PR, PP, PDT, PTB, PSC, PPS, PV, PMN, PHS, PTdoB, PRB, MINORIA e GOV) - NÃO (PSOL)

Quem ABSTEVE-SE na votação: 

Agnaldo Muniz (PSC-RO), Emília Fernandes (PT-RS) e Silvio Lopes (PSDB-RJ)


QUEM VOTOU NÃO:

legenda: PARTIDO (total de deputados votantes) - quem votou "não"

PMDB (total 65 dep) - Lelo Coimbra (ES) e Marcelo Almeida (PR)

PTC (total 2 dep) - Paes de Lira (SP)

PT (total 44 dep) - Assis Couto (PR, Cida Diogo (RJ), Décio Lima(SC), Eduardo Valverde (RO),  Iran Barbosa (SE), Luis Couto (PB), Magela (DF), Paulo pimenta (RS) e Vander loubet (MS) 

PSDB (total 28 dep) - Alfredo Kaefer (PR), Emanuel Fernandes (SP), Gustavo Fruet (PR) e José C Stangarlini (SP)

DEM (total 33 dep) - Major Fabio (PB)

PSB (total 18 dep) - Cap. Assunção (ES), Luiza Erundina (SP) e Mauro Nazif (RO) 

PCdoB - (total 7 dep)

PR (total 23 dep)

PP (total 30 dep)

PDT (total 17 dep) - Fernando Chiarelli (SP) e Sueli Vidigal (ES)

PTB (total 10 dep) - Ernane Amorim (RO)

PSC (total 11 dep) - Regis de Oliveira (SP) e Takayama (PR) 

PPS (total 8 dep) - Raul Jungmann (PE) e Augusto Carvalho (DF)

PV (total 10 dep) - Dr Talmir (SP), Fernando Gabeira (RJ), Henrique Afonso (AC) e Luis Bassuma (BA)

PMN (total 2 dep)

PHS (total 2 dep)

PTdoB (total 1 dep)

PRB (total 1 dep)

Posted via email from Impressões Digitais

Sunday, December 05, 2010

Curitiba Audio

Impressões Digitais sobre o domingo pela manhã em Curitiba

  
Download now or listen on posterous
Podcast.m4a (477 KB)

Sergio Vieira (mobile)

Posted via email from Impressões Digitais

Tuesday, November 30, 2010

Friday, November 19, 2010

Templo

22 de maio de 1979

Templo

Em meus dias paralelos,

Às suas noites aneladas.

Em meu cosmo balbúrdia,

Minha alucinação, descrente

Num paradoxo ateu de segunda-feira,

De fome, e de nome;

Em meu passado tão presente,

De gemidos e calabouços engendrados,

De hipnótica sonolência arquivada.

Em meu segundo, terceiro ou quarto,

Tempo ou numeral, não importa!

Na aguerrida sobrevivência natimorta;

No útero enlameado e podre, 

Concebido no uivo agonizante 

Ainda entalado nas bocas das covas.

Escarrado e incandescente.

Infinito e descabido.

Ordenadamente desencontrado me habito. 

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Tuesday, November 16, 2010

Quem sabe?




(do livro Poesia numa hora dessas? - 

Luis Fernando Veríssimo)
Diz a mecânica quântica 
que as partículas atómicas
se comportam de um jeito
quando são observadas
e de outro quando estão sós
(como, aliás, todos nós)

E quem nos assegura
que o Universo que está aí
não é como aí está
quando ninguém está olhando?

E que quando os astrónomos
se viram do telescópio
para a prancheta
o Universo não faz
uma careta?


Photo: The Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) Context Camera (CTX) captured this picture of a crater resembling a “Happy Face” on Jan 28, 2008

Friday, November 05, 2010

Mais uma sessão de bom humor e gargalhadas... se não fosse triste.

Não sei como alguém tem a capacidade de encarar esta "struvenga boçalis" como real e redistribuí-la... Nada como uma campanhazinha sórdida para desestabilização econômica e política.

O conceito de mobilização popular para modificação de situações econômicas e/ou sociais contrárias ao clamor popular é deveras louvável... entretanto o missivista (e os seus spammers) obrou e caminhou para a realidade dos mercados de produção (monopólio da estatal) e de refino (quase um monopólio) de petróleo brasileiros... Taquiospa!

O pior é que recebi isto aqui de um ex-presidente de uma empresa de engenharia reconhecida nacionalmente!!! É... creio que tanto o timing defasado - "outubro(?), novembro e... " quanto o teor "inteligente" deste spam explicam o "ex" aposto no cargo do spammer.

Spam de Alta Octnagem

Posted via email from Impressões Digitais

Tuesday, November 02, 2010

Total

30 de julho de 1979

Total

Oferecendo uma vivenda debochada e fraudulenta

Tua alcova subornada pelo cheiro de jasmim

Erva-doce, tulipas e damas-da-noite

Convidava como um bordel, num sorriso 

Escancarado e ausente do mundo, o sonho

Doce espaçp noturno de presença esquecida

Entre lençóis de linho e fantasmas passageiros

Entre poções mágicas, alcoólicas de uma garrafa qualquer

Entretidos com o umbigo alheio e desenhos manchados na parede

Malcriando feras e anjos caídos, deuses da mito-lógica investida

De palavras e gestos extenuados .

Quanto sabor, terror, fervor. Quanta brincadeira,

Doideira e alvoroçadas bandeiras,

Rotas, sujas, ejaculadas no espaço, num espasmo 

Sem rancor ou pudor, num espanto.

Quanta risada, lágrima e suor,

Quanto tudo.

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Monday, November 01, 2010

...E agora, José?!

Veja, Folha, Estadão, Carta Capital, O Globo... 

A grande imprensa brasileira, sem saída e em desespero financeiro, mostrou nestas eleições seu total comprometimento com uma ideologia política ou outra e acabaram se tornando em algo, assim, como um weblog exclusivo, de opinião. Ou seja, o conceito de jornalismo isento e/ou elemento meramente informativo e fiscalizador (doutrina do 4” poder de uma Democracia) foi p´ras cucuias... 
 "Informação p´ra quê? Os compradores do jornal/revista/site que se lasquem! O que vale neste meu produto de propaganda é o que acho!" 

Nota de última hora: O ¨jornalismo¨ (SIC) tupiniquim, deste dayafter, insiste em avaliar a divisão NORTE-SUL dos votos em termos PERCENTUAIS... Coloque as votações nas regiões em NÚMEROS ABSOLUTOS e verá que os 45% dos 89 milhões dos eleitores do sul, sudeste e centro-oeste (algo como 32 milhões de votos de 40 milhões de eleitores, menos 20% de abstenção) é muito mais significativo que os cerca de 22 milhões de votos oriundos do N-NE. Com aritmética elementar vê-se (sem torturar números) que os 11 milhões de votos absolutos que Dilma recebeu a mais que Serra residem nas regiões sul, sudeste e centro-oeste... xenófobos, onde estás seu XENOS agora?

Posted via email from Impressões Digitais

Saturday, October 23, 2010

A Interatividade, a Operadora e a Ouvidoria

Retornando nesta última 2a. feira (18/out/10) de uma rápida viagem à Minas minha esposa me questionou: 

"Você colocou créditos no meu telefone pré-pago?" E eu: "… claro, vivo colocando créditos nele e sempre conto a você tim-tim por tim-tim!" (arrghhh). Não, não disse nada disso… eu respondi: "Coloquei sim, R$ 35 na sexta-feira mesmo, antes de você viajar". 

E ela desconfiada rebate: "Pois é, não usei nada e os créditos estão zerados. Não tem nada, nadinha e aquele número doido 72751 mandou umas 20 mensagens (fato estranho #1).

Aí eu indaguei: que número é esse 72751? Calmamente ela me diz que havia duas semanas que este número enviava SMSs sem parar! Ainda na 2a. eu ¨gogleei¨ e rapidamente descobri que o tal número é odiado por usuários de várias operadoras como pode ser visto aqui e aqui.

Na 3a. (19/out/10) disquei *8486 opção 9 e a gravação me informa o protocolo do ¨não-atendimento¨ posterior. Explico: após a entrada da atendente na linha, e a confirmação de dados e de eu explanar todo o meu problema, ela me informa que não pode fazer nada, pois os atendentes estão sem sistema (fato estranho #2) e que apenas em 24h eu poderia conseguir algo, assim deveria ligar novamente no dia seguinte.

Na 4a. as 10h manhã ligo novamente à Central de Relacionamento (hahahaha), a mesma mensagem eletrônica me avisa que se não quiser ouvir eu receberei uma mensagem SMS com o nº do protocolo do atendimento da ocorrência (fato estranho #3), logo em seguida entra o atendendo, que após a ladainha sobre dados ouve meu xororô sobre o fato de que "um serviço não solicitado e, portanto, não autorizado via o nº 72751 estava ¨sangrando¨ os créditos de um pré-pago… que tal fato se revestia de fraude e/ou falsidade ideológica e roubo… assim eu exigia o cancelamento imediato de tal "serviço" e de quaisquer outros que estivessem vinculados à linha… e que por fim eu solicitava o nome do setor ou do responsável pelo serviço vinculado ao nº 72751 para as devidas providências legais…"

O atendente, ouvindo ainda de mim que tal número é ¨useiro e vezeiro¨ de tal prática e que, certamente, a Operadora estava ciente de disso, tentou me explicar que se eu enviasse um SMS para o tal nº com uma palavra em maiúsculas o serviço seria cancelado (fato estranho #4). Diante minha exigência de solução ¨por parte da Operadora que intermediou o acesso não-autorizado¨, o atendente efetuou a interrupção do serviço e que eu receberia um SMS com a notificação de tal procedimento (fato estranho #5).

Diante minha obstinada insistência em saber informações sobre o serviço 72751, o atendente informou que este era uma "interatividade" (jargão do mercado), um serviço fornecido por terceiros e que a Operadora não era responsável pelos atos deste terceiro (fato estranho #6). Por fim informou que se eu quisesse ele poderia me encaminhar à Ouvidoria (hahaha… outra vez) e eles poderiam me ajudar a descobrir quem era a empresa por trás do serviço.

Ato contínuo, a atendente Mariana da Ouvidoria (arrghrssppotfthahaha… impossível conter a gargalhada) entra no embrulho - as 10:12h -  comecei então a contar tudo de novo. Quando disse que gostaria de saber quem era o n” 72751,  ela me interrompeu e repetiu tudinho o que o 1” nível do filtro "vamos enlouquecer o estúpido pagante" havia dito… comecei a me sentir no Processo de Kafka. Foi quando imbuído de um espírito "ad vocantis" argumentei que a Operadora como parte de um contrato de prestação de serviços com um terceiro (a  tal ¨interatividade¨) poderia ser alvo de co-participação em ato ilegal em uma ação civil e criminal, etc. e tal (digressão: para quem não sabe, corruptela de etecetera et al)... Não é que a frase de efeito funcionou! Como um passe de mágica ela começou a SOLETRAR o nome da empresa responsável pelos "serviços" do n” 72751 - SUPPORTCOMM.

Questionei então se este era um nome fantasia, pois uma empresa possui razão social e também um CNPJ… Aí o "bicho pegou", ela embatucou e pediu ¨um minutinho¨ para consultar a informação solicitada… 

Bem, enquanto eu achava o site da supportcomm e escrevia este post a musiquinha de espera da Operadora/Ouvidoria ficava em moto-contínuo no telefone até as 10:53h, ou seja, mais de 30 minutos de espera pelo retorno da Mariana até o corte da linha pela Operadora (fato estranho #7). Brasiu!!!


FATOS ESTRANHOS:

#1 - Verificando o celular da esposa descobri que durante os dias anteriores à viagem a média era de 3, 4 mensagens diárias, assim que ela entrou em roamming a média passou a 22 SMSs diários!!!

#2 - Por quê solicitou todos os dados, e também ouviu toda a solicitação e requisitou maiores detalhes para depois informar a falta de sistema? De imediato solicitou 24h de prazo para retorno a normalidade, pois bem, 1h depois liguei de outro telefone pré-pago e cancelei um serviço promocional.

#3 - Não recebi SMS algum confirmando ou não o atendimento.

#4 - Nitidamente já faz parte do roteiro de atendimento o texto compreensivo e de que não são responsáveis pelo ocorrido, tanto que solicitam ao incauto que o próprio cancele o serviço caracterizando assim a ciência de uma ¨solicitação¨ oficial. 

#5 - Não recebi SMS algum confirmando ou não o atendimento, o que caracteriza a existência de roteiro de atendimento com um ¨apagar de rastros¨, é como se eu nunca houvesse me comunicado com a Operadora.

#6 - Como uma Operadora pode cancelar um serviço (contratado ou não) e não ser responsável perante ambas as partes? Ela intermediando um fornecedor e um usuário, deve por Lei, possuir um contrato com cada uma das partes e, portanto, possuir co-responsabilidade pois aufere lucro na relação entre ambos.

#7 - Bem... este não é um fato estranho quando se trata de atendimento de Operadoras.


post scriptum (aka p.s.) - Confirmado a ANATEL (Associação Nacional dos Amigos das Tele-operadoras) não lê a ¨Interwebs¨, pois fica lá impávida e ¨colossa¨ à espera que você registre uma reclamação. Apenas isso. Eles não te retornam, não te informam… ninguém sabe o que acontece. Não podiam ter inventado um sistema melhor de processo infinito e inconcluso. A perfeita solução de continuidade. 

Posted via email from Impressões Digitais

Friday, October 22, 2010

Dístico

27 jun 1978

Dístico

A você que passou a vida derrubando ideais 

e ideias normais,

Transcendentais normas de existência 

em loucos dias regrados.

A você que violentou-se, expondo vísceras 

e entranhas à estranhas pessoas,

Enzimas e químicas de seu sangue na jugular, 

Arterial oferecimento de um franco vampirismo social, 

Metamorfoseado em estigmas familiares.

Ao meu psicótico ser, animal místico, 

com sotaque italiano e meias palavras, 

resmungadas, soluçadas entre um urro e outro.

Ao falso enredo da consciência humana

e do script cultural que falhou.

Pelo respeito à lógica, seguir a ordem

e me desencontrar por completo.

Qual o real significado

da fatalidade?

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Friday, October 08, 2010

Mens Sana

16 de abril 1978

Mens Sana

Desse marasmo que domina minhas veias

e faz escorrer um mistura. Lodo. Lama. Água. Sangue.

Desse medo em mim prenhe de outras datas 

que regurgita e agita as entranhas.

Estranhas passagens habitadas 

por estranhas memórias. Inglórias. Instantes. 

Dessa tremedeira barata, 

nervosa e química. Tímida. Escondida. Tamanha.

Que desdobra minha pele arrepiada 

em escamas abissais e escuras. Diárias

Em esculpidas e estúpidas frases 

colocadas, maceradas no incesto cotidiano

Desse caos estabilizado 

que mantém as vísceras expostas. Imóveis. Ao sol.

Salgando o charque da minha moral

roubada de um passado qualquer.

E pousada na senda, na fenda da minha estirpe.

Brota líquida, minha insanidade 

escorrida em meias idéias. Obscena. Herege.

Errônea e debilitada num vômito alcoolizado.

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Thursday, October 07, 2010

Aham, Cláudia senta lá... (*)

Abaixo transcrevo o artigo do Terra Magazine. Quem quiser pode acreditar no Ricardo Gandour; eu, após a leitura do artigo tasquei aí em cima o título do post.
(*) entenda o meme - clique aqui 

Diretor do Estadão: "Não houve censura a Maria Rita Kehl"

O diretor de conteúdo do Grupo O Estado de S.Paulo, Ricardo Gandour, conversou com Terra Magazine sobre a demissão da colunista Maria Rita Kehl, psicanalista, que, no último sábado (2), publicou no jornal um artigo no qual tratava da "desqualificação do voto dos pobres". Gandour, para começo de conversa, diz que "não houve demissão":

- Não é demissão. Colunistas se revezam, cumprem ciclos.

Disse ainda o diretor de conteúdo do Grupo O Estado de S.Paulo:

- Havia uma discussão em torno de novos rumos para a coluna, essa conversa começou na última terça-feira pela manhã, (...) Horas depois, houve um vazamento na internet que precipitou a decisão. Não houve censura. Tanto que a coluna saiu integralmente.

A seguir, a conversa com Ricardo Gandour.

Terra Magazine - O que aconteceu entre o jornal o Estado de S.Paulo e a colunista Maria Rita Kehl? 
Ricardo Gandour - O projeto original no caderno C2 + Música é de de ter ali, aos sábados, um espaço em torno da psicanálise. Um divã para os leitores. Mas esse não era o enfoque que ela vinha praticando e frequentemente conversávamos sobre isso.

Com você? 
Não comigo diretamente, mas com a editora do caderno. Assim iniciou-se com a autora uma discussão em torno de novos rumos para a coluna. Inclusive com o contrapropor da colunista.

Quando começou essa conversa?
Essa última conversa começou na última terça-feira, pela manhã. Ela chegou a contrapropor alguma coisa, tinha um diálogo rolando... Horas depois, houve um vazamento na internet que precipitou a decisão...

Mas vocês atribuem isso a ela?
Eu não sei, não posso afirmar. E estão dizendo na internet que houve censura...

...Na verdade, o que há na internet é uma entrevista com Maria Rita Kehl, onde ela diz: "Como é que um jornal que está, que anuncia estar sob censura, pode demitir alguém só porque a opinião da pessoa é diferente da sua?"
Não houve censura, a coluna saiu integralmente, sem mexer em uma vírgula.

Mas houve consequências...
Tinha uma conversa em torno dos rumos daquele espaço. Estão dizendo que foi a coluna de sábado que causou isso, mas não foi, não. Era o foco daquele espaço que era outro. Claro que a coluna de sábado foi uma coluna forte...

Forte...
Dentro da questão de que não era esse o foco.

Então, a demissão não se deu pela opinião da Maria Rita e por posterior censura à ela?
Não é demissão... colunistas se revezam, cumprem ciclos. A Chris Mello saiu do jornal em agosto, o Mark Margolis entrou em outra seção. O jornal tem 92 colunistas, e esse ano saíram três e entraram três ou quatro. O que estava havendo aí era a simples gestão de uma coluna específica.

Desde...
Tinha um diálogo rolando e esse diálogo vazou e eu lamento que esteja havendo uma leitura histérica disso.

Talvez porque é um momento...
O momento é delicado, crítico, de eleições, mas abriu-se um diálogo que vazou e nós mantivemos a linha. O fenômeno da rede social é que uma conversa entre três pessoas passou a acontecer entre 3 mil pessoas, mas a verdade sobre esse fato é esta.

Bob Fernandes - Terra Magazine

Posted via email from Impressões Digitais

Estadão: "Delito de Opinião"?!!


Estou estarrecido:
Maria Rita Kehl declara ao Bob Fernandes do Terra Magazine: "Fui demitida (do Estadão) por um 'delito' de opinião" - clique aqui para íntegra da entrevista.
Mas o que está acontecendo com os jornais brasileiros? 
É o desespero da falência iminente destas companhias anacrônicas? 
Um mamute da velha mídia, do alto de toda sua conservadora e histórica defesa de independência e que estampa diariamente estar sob censura por ato jurídico, joga tudo fora. Alinha-se empresarial e politicamente a um candidato à presidência e (talvez, quem sabe) na defesa de sua coerência ética (?), não censura uma articulista que contraria a sua linha editorial tucanada - e portanto, sem independência e isenção antes adotada - simplesmente a demite, num claro recado: 
"Aqui é assim, se você quiser assado vá pra outra freguesia, meus empregados fazem o que mando, ideias contrárias às minhas não cabem em meu jornalismo na minha empresa de informação".
  
Nota: Nos anos 80 tive o prazer de trabalhar com o lado masculino da família Kehl (Sérgio, Luiz Augusto e José Renato). Infelizmente a Maria Rita conheci apenas "de vista" e em alguns pequenos encontros sociais, nada muito profundo, o que não influiu em nada em minha admiração e respeito pelo seu trabalho.

Wednesday, October 06, 2010

Mulheres... "APRENDÃO"(*)!

Este videozinho apresenta o que pode-se qualificar como sendo o primor da eficiência e uma pequena aula para as mulheres.

(*) que não conhece o meme pesquise no Google.

Posted via email from Impressões Digitais

Monday, October 04, 2010

Voto Distrital Misto? Nada disso... Megasena!

Quanto a forma de eleição legislativa eu tenho uma ideia antiga, pincelada por um colega de profissão há anos, e que de uma tacada só diminui absurdamente os custos diretos e indiretos do Congresso Nacional e também a quantidade de funcionários públicos federais, estaduais e municipais: 


A "eleição" de vereadores, deputados e senadores se daria por sorteio.


Isso mesmo! Sorteio. 

A pessoa tem mais de 24 anos (ou seja, deixou de ser infantilóide, é apenas infantil), possui instrução mínima de 2ª grau completo, declara IRPF? Parabéns!!! Ela pode ser uma dos sorteadas a representar nos próximos 5 anos seu distrito/cidade (vereador); para deputado a instrução mínima é de 3º grau (incompleto para estadual e completo para federal), para senador a pessoa tem que ter no mínimo 35 anos e 3º grau completo. 

O sorteado/representante nem precisaria sair de casa: receberia uma super workstation (com help desk, back-up e suporte on line 24/7) e um link com uma banda deste tamanhão, ó. 

Da Capital (da nação ou dos estados) ou das cidades, somente alguns funcionários públicos iriam organizar e providenciar as pautas e os textos (via internet) para o fiodamãe do sorteado representante legislativo fazer o que tem que fazer: votar ou elaborar leis para avaliação e aprovação, ou não, pelos seus pares. Sem sair de casa! 

Durante o período de prestação de serviço como representante dos cidadãos o ilustre sorteado receberia, do Estado, além da infraestrutura citada, um salário que seria exatamente o dobro daquele que recebia, comprovadamente, no dia do sorteio (obviamente este seria licenciado de seus afazeres profissionais sem remuneração durante seu cargo legislativo). Nos casos de ausência de renda a Lei do Sorteio irá definir um piso salarial para a legislatura exatamente igual ao menor salário existente no grupo de representantes sorteados; nos casos de empresário usar-se-á como valor-base o Pro-Labore ou Rendimentos de Participação, tudo de acordo com o IRPF. Não haverá suplência, apenas novo sorteio para substituição do cargo vago (morte ou renúncia) … Simples, não!?

E o que fazer com Brasília, com seus equipamentos funcionais e funcionários legislativos? Fácil! Vamos transformá-la numa Las Vegas.

Posted via email from Impressões Digitais

Sunday, October 03, 2010

Ressaca Democrática

Os votos estão sendo computados. Até Novembro define-se o que serão os próximos 4 anos no quesito alegoria poder. 

Até o fim desta olimpíada vamos fazer o seguinte? Até as próximas eleições a gente fica no pé dos fiadamãe que elegemos para deputado estadual, estadual federal, governador, senadores e presidente. E como? Elementar, basta encher a inbox com recadinhos, ideias, projectos e cobranças, não deixando ele esquecer, um dia sequer, que tem gente de olho nele… ou seja, vamos encher o saco de nosso querido representante! 

Ele não quis a porcaria do cargo de representante (legislativo) de nossas vontades? Pois então, agora aguenta a aporrinhação!

Vamos parar de ser genéricos e vamos para o atacado. Mirando bem na inbox do douto e preclaro representante, ele - ou o coitado do nepótico aspone encarregado de ler os emails - terá que se render à enxurrada de questionamentos e cobranças de posturas em votações e na análise de espinhosas questões da pauta da assembleia, câmara ou senado. 

Quanto aos eleitos para o executivo (governador e presidente) a coisa é um pouco mais difícil; eles não nos representam, eles gerenciam e executam o que determinam nossas leis aprovadas pelos nossos representantes (ou deviam, pois não?). Mas, apesar de serem distantes e sem inbox à vista, eles são muitos sensíveis a movimentos massivos e barulhentos, principalmente em meios como TV, jornal e revistas. 

Nesta seara - mass media - nós podasters e blogueiros - infelizmente - somos arraia miúda, grupinho esperneante de somenos importância, quando isolados , bem entendido… mas quando o efeito multiplicador dispara - aka viral - a "interwebs" chacoalha a velha mídia, pautando todas as editorias políticas.

Estando fora da máquina de poder, é isto que nos cabe como cidadãos. Se a cada eleição somos chamados para escolha deste ou daquele, no interregno bem que podemos infernizar fiscalizar e influenciar os escolhidos.

Posted via email from Impressões Digitais

Saturday, October 02, 2010

Caminhando, pra dizer que não falei das flores

Não deixa de ser uma recuperação histórica...

Muita água passou por baixo da ponte do velho "estado de exceção" desde que a canção Caminhando agitou centenas de milhares de telespectadores e uma imensa multidão no Maracanãzinho em 1968.

Ao fim daquele ano, em 13 de dezembro, o regime militar impõe o Ato Institucional nº 5, transformando de vez a vida do brasileiro em um arremedo de campo de concentração continental e transformando 68 em o Ano que Não Terminou.

Mas aqui - neste depoimento mais que importante para a compreensão do que foram os anos de chumbo (68-73) e o que eles conseguiram produzir em uma nação despreparada política e culturalmente - temos a clareza de um comprometimento vital e sanguíneo com suas convicções. Após 36 anos Geraldo Vandré (o oautor der Caminhando) fala publicamente sobre seu afastamento da vida artística.

Este é um documentário / entrevista de importância fundamental para avaliar o processo de desintegração sócio-político e cultural de um povo.

 

 

 

 

 

 

Posted via email from Impressões Digitais

Wednesday, September 15, 2010

Águas passadas, desde que digitais, podem mover moinhos...

No longínquo ano de 2007 eu já tecia comentários em meu Podcast (Impressões Digitais) que contornavam e já suportavam o texto anterior aqui postado Declaração de Voto
Como o objetivo do Impressões sempre foi o da provocação através da exposição clara de minhas idéias e ideias, 
"CREIO PIAMENTE QUE A OBSERVAÇÃO DA REALIDADE É O RESULTADO DO COLAPSO DA FUNÇÃO DE ONDA DE ERWIN SCHRÖDINGER, OU SEJA, DO COLAPSO QUÂNTICO. O QUE TRADUZIDO PARA TERMOS ATUAIS/JUVENIS, PODE SIGNIFICAR ALGO COMO: IHHHH, ÓIA AÍ Ó... POR CONTA DISSO AOS QUARENTA E TANTOS DECIDI PRODUZIR UM AUDIO PODCAST SOBRE COMPORTAMENTO, ARTES, CULTURA E TECNOLOGIA. QUEM SABE A GAROTADA PÁRA DE FALAR: IHHHH, ÓIA AÍ Ó..."

tenho certeza que a audição deste antigo episódio do impressões irá ajudar, se não a um novo modo de ver a conjuntura política, com certeza a municiá-lo com mais argumentos para me cruxificar.

Posted via email from Impressões Digitais

Tuesday, September 14, 2010

Insônia

Insônia (25 de março de 1980)


Dane-se, como tudo, esse sabor 
dessa mistura de suor e vontade
obscura.
Em minha boca, salgada, e
que balbucia rouca palavras ríspidas 
e diárias.
Dane-se esse espectro azulado
de saudade
que me acompanha pela cidade
nas ruas feito sombra de sol a pino,
que deslumbra todo um desatino
qualquer
de reflexo disforme.
Dane-se essa incontente sensação
de vitória, de história vencida,
de negação impotente.
É tanta derrota trivial
é tanta alheia palavra final,
de quem fala e não faz 
que me aconchego, derradeiro
sem achar direito na cama
meu travesseiro.

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Sunday, September 12, 2010

Declaração de Voto

Muitos se estapeiam em épocas de eleições como se tais períodos definissem, por toda a eternidade, a vida de cada um. 

Ledo e crasso engano…

Desde minha tenra adolescência em pátios escolares, passando por campi universitários, depreendi que a democracia (talvez por viver, à época,  em plena ditadura), além de utópica, é carrasca. 

Vislumbremos o cenário: dois ou mais grupelhos convencem a maioria circundante (geralmente com grau de estupidez equivalente à avidez em palpitar sobre qualquer coisa, preferencialmente, sobre aquelas que não lhe atinja de forma directa e não cause envolvimento em nada que lhe exija atenção - vide reunião de condomínio) que basta submeter alguns representantes destes grupelhos ao escrutínio das urnas para tudo se revestir de legalidade, de uma pura, transparente eficaz e direta representatividade perfeitamente convalidada e abençoada, amém. 

Pronto! Assim define-se o atual paradigma brasileiro do "PUDÊ!", ou como chamo a Democracia de Minoria. Se os grupelhos forem suficientemente espertos (vejam os estadunidenses e ingleses) montam um joguinho de faz-de-conta e alternância ad eternum… e la nave vá.

Aqui na terra brazilis, talvez pela sua infante democracia e consequente política um tanto quanto rastaquera, as associações pré-poder ainda se maquiam de tintas ideológicas emboloradas ou se encontram devidamente coaptadas pelo canto de sereias braslienses sobre as benesses de um falso centrismo, este mais definido pelo equilíbrio das forças em disputas internas do que pela ideologia. Falta-nos a maturidade da cidadania responsável pela coisa pública. Ainda somos - em nossa maioria -  dependentes de ioiô e de iaiá. Porém, aí, nesta seara - para não dizer maranhesca - política, tudo e todos não passam de atores de uma mesma farsa.

...

Mas voltemos ao motivo deste meu desabafo um tanto desesperançoso (mesmo tendo lutado pela democracia e pelo direito a voto a todos) e pelo fato de eu não mais me afligir sobre o ganha-e-perde destas eleições.

Não creio que fulano ou sicrana, ou o grupo X ou a associação Y, irá solucionar ou modificar, num passe de mágica, o status quo sócio-político… Personalização e paternalismo não fazem parte de meu dicionário político. Hoje, só consigo analisar e participar como cidadão da vida da Nação através de ações de macropolítica. Qualquer bandeira "partidária" que eu carregue será falsa e contrária meu conceito de democracia plena. 

O poder deve ser alternado entre os grupos interessados, assim como devem ser testados novos compromissos com tal poder… mas sem colocar em risco os equilíbrio alcançados, ou melhor dizendo, o poder deve chegar a determinado grupo no tempo histórico e de compressão social adequados. Ditaduras de esquerda e de direita provaram - na história mais que recente - as suas incompetências em teinosamente esquivar-se desta verdade. Mesmo a toda-poderosa democracia  dos EUA, em seu víés neo-liberal, bambeia miseravelmente devido às idiotices de perpetuação republicanas, não é?!

Assim, cheguei a conclusão que o PSDB há 8 anos afastado do poder conseguiu o impossível, ficou no ostracismo e não conseguiu posicionar-se como oposição política nem como alternativa sócio-econômica. Além de outros rincões deste brasil-véio-de-guerra, o mesmo PSDB há 16 anos domina o maior estado e a maior capital do país (ou seja, o 2º e o 3º orçamentos do país - estes só perdem para o orçamento da União) e mesmo assim, não conseguiu viabilizar uma unitária e virtuousa ação política sequer, nem ao menos amealhar um par de aliados ideologicamente afinados a um discurso equilibrado e inovador. Passou em branco e casou como o diabo, desaguando na demonstração atual de total incapacidade de vencer uma eleição de sindicato! 

Se tal coleção de próceres políticos não conseguiu o mais elementar do exigido no campo político, como então irá implementar uma administração de poder renovada, dinâmica e criativa? Lamento, mas vou manter o bode na sala para que alguém o tire de lá definitivamente ao invés de esbravejar que fede e há esterco. 

Creio que a eleição da Dilma será a pá de cal definitiva no que resta tanto do petismo como do tucanato fisiológicos, ineficientes e incapazes que andam por aí. O país precisa mais do que nunca de opções sérias de Políticas de Nação e não "políticas de governo" (ou seja, "pude"). Não dá mais para ficar nessa falácia de politicalha misturada com empresário amigo e parceiro de subchefe-de-assessor-de-qualquer coisa em gabinetes de apadrinhados e de cotas de acordos partidários. As saídas até agora oferecidas são mais-do-mesmo… e isso não basta para os desafios que se avizinham. Ou surge uma nova forma de cidadão e de administrar o executivo, o legislativo e o judiciário ou estamos fadados a virar uma imensa favela nacional, velha, suja, ilegal, viciada e corrupta.

Precisamos que os jovens (minha geração você pode esquecer, ela está mais interessada em discutir a ética e honestidade do síndico) encarem a árdua tarefa de alterar, difundir e aplicar - urgentemente - os conceitos de res publica e de cidadania. Só assim novos partidos políticos podem surgir e provocar - democraticamente - um realinhamento social e morl suficientemente forte para as reformas de representatividade, idoneidade e gestão política.


Em resumo, nestas eleições vou ajudar a chutar esta porta podre de forma macropolítica - Vou votar na Dilma.


Nota final -  No  post não consegui encaixar a ideia a seguir, assim coloquei-a como uma simples nota de rodapé: Na defesa democrática da liberdade uns exigem que o voto seja realmente um direito, ou seja, facultativo (aviso: sou totalmente a favor desta ideia) mas, que esta faculdade em uma sociedade desconectada da cidadania valida de vez a "democracia de minoria" isso é inquestionável. 

Posted via email from Impressões Digitais

Monday, August 23, 2010

360 graus

360 graus (7 de fevereiro 1978)

Nesta selvagem histeria de temores
Coloca-se meu coração ávido,
Num álibi,
Morto e desenganado;
Só uma loucura me arvora
Aquela que sua boca diz
E quando infeliz boceja
Palavras remediadas;
Como cicatriz
Minha trama é homogênea
E clara como mar,
Meu desejo é viver
E não ter sentido.

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Thursday, August 19, 2010

Alegar ignorância não é desculpa!

Aproveitando um dos motes que divulgo há 4 anos: "Nas próximas eleições não reeleja ninguém" divulgo a todos os brasileiros de todos os rincões:

Neste sítio você encontrará todos os candidatos de seu estado para todos os cargos.
Basta futricar e pesquisar o passado do dito cujo.
Escolha!
Use o método que quiser: afeição partidária (um tanto difícil, mas que ainda determina o NPI - Nível de Putaria Intrínseco), ou beleza física (aquele caso de simpatia é quase amor), ou projeção numérica (uni duni tê o escolhido foi você), nepotismo absoluto (parentáia mesmo) ou ainda probidade, empenho público e representatividade de seu espectro político.
Escolha! E seja sincero na sua justificativa pessoal para cada um deles - seja legislativo ou executivo.

Ah! Se nenhum deles o representa integralmente sopese seriamente a possibilidade de uma futura candidatura e arregace as mangas... pois quem determina o governo de um país em 1ª instância é o povo, beeeem antes do vereador, deputado, senador, prefeito, governador ou presidente.

Nota: Eu me comprometo a declarar e justificar, antes das eleições, meus votos aqui... Serei cruxificado, certamente, mas sou bem velhinho pra suportar críticas por opiniões pessoais.

"La strada per dove passo
Non è oggi più lá stessa
Hanno lasciato crescere il camposanto
È morta la principessa"

Posted via email from Impressões Digitais

Monday, August 16, 2010

Dinho

Dinho (5 de junho de 1980)

Aquele pátio era muito grande
P´ras nossas loucas corridas
Até o suor empapar nossas camisas
Idênticas, brancas.
"Virge-maria! O home do saco..."
E nós alvos, fraternos fugindo da imundície
No muro caiado e portão enferrujado
Na grama, na azedinha e picão
Arranhando a pele, sangrando risos banguelas
No jogo regrado pelo nosso ritual instintivo
No roubo noturno da fruta vizinha mais saborosa
Bancando o mocinho no cabo da vassoura
O corte, o raspão, a quebra...
E nos olhamos compartilhando
Um segredo infantil com olhos adultos
E nos espaçamos diariamente
sorridentes e cúmplices.

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Monday, August 02, 2010

Invernada I e II

Invernada (10 de julho de 1977)

Envelheci novamente assustado e sozinho
Deparei com o passar das horas
Contando os segundos a fio...
Tive problemas, idéias, alegrias e soluções 
Num 
Momento
Deste imenso e enorme dia...
O tique-taque do relógio de cobra
Não sei se a precisão
ou então, somente a sobra...
Falei sinceramente a alguém 
Apesar de tudo
Levei de troco apenas desgosto
(também porra! o que eu queria?)
...
Amanhã rejuvenesço novamente.

Invernada (11 de julho de 1977)

Eu não disse!!

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Saturday, July 24, 2010

Penumbra

Penumbra (17 janeiro de 1979)

Não cabe mais palavra

Alguma.

Quem teve por quem  sofrer

Cala.

Chama seu nome, que escapa

Numa

Luz de lembrança.

Esquecer.

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Monday, July 19, 2010

Amazon Sells More E-Books Than Hardcovers

Este post da Wired, corrobora o meu post anterior, simples assim.

Posted via email from Impressões Digitais

Sunday, July 18, 2010

Jornalismo e Sobrevivência 2 - A missão

Há um mês atrás comentei aqui sobre a decadência do jornalismo diário e semanal brasileiro que, teimosamente, ainda tenta manter um paradigma completamente anacrônico e inconsistente com a flexibilidade da informação by RSS (a qual eu diria ser até uma prima-irmã do rádio, só que bidirecional e multi-usuária).

 

Nesta semana tivemos a prova que a porta deste modelão - jornalismo papel e tinta a base de chumbo - está podre, basta alguém com mais coragem pra dar um chute e sistema desabar: o centenário Jornal do Brasil (que exibe orgulhoso ser o 1º jornal brasileiro na internet) do Rio de Janeiro anunciou o fim da edição diária em papel, a partir de setembro, e a manutenção apenas da sua versão na "interwebs - a rede mundial de computadores" . 

 

Só mais um detalhe: O Jornal do Brasil, editado há 119 anos no Rio, é o segundo jornal que deixa de circular depois de ser assumido por Nelson Tanure. Há pouco mais de um ano, a Gazeta Mercantil, que também foi arrendada pelo empresário, parou de circular por problemas financeiros, só que este último não tem versão web. 

 

Posted via email from Impressões Digitais

Saturday, July 17, 2010

Livros LabCom [LabCom Books]

Check out this website I found at livroslabcom.ubi.pt

Informação diversificada e qualificada sempre é bom... Ainda mais quando está acessível a um clique. Minha e-library agradece.

Posted via email from Impressões Digitais

Saturday, July 03, 2010

Tartamudeio Mental causa Block!

Acordo e encaro este sábado que se estende por uma paulicéia ensolarada e ressecada. 

Após meus ritos matutinos passei os olhos no twitter e aproveito pra comentar um post do @guileite.. e olha só o que me aparece (ver a imagem aí)!!!
Um arremedo de spam pra lá de safado se embrenha na minha timeline... se você for corajoso e clicar no link do "artista" JOELSON GAGUINHO (hahahahahaha - aimeudeus!) vai se deparar com um pagodinho pra lá de ruim.
Eu - apesar de ranzinza - e incorporando o @nickellis, dentro dos meus limites de civilidade, recusei o spam (e tá bão, dei uma forcinha na democratizaão da merda). 
E olha só a resposta do boçal!!!! Bem feito véio! Quem mandou alimentar troll? Agora só dando block e denunciando o "sambista-spammeiro".
Como diria o pioneiro @crisdias #AVAPAPU!

Posted via email from Impressões Digitais

Friday, July 02, 2010

Lida

Lida (1º maio 1979)

Que venha a mim toda insensatez das mesas de bar
De minutos de amor na varanda da amada
De cortes e decotes
De carnês e boás multicores
Que saia fulgurante em mim o domínio insano das manhãs de Primavera
E que novamente os setembros se sucedam
Opacos ou travestidos de luz
Que as bobagens do mundo deslizem pelo canto da boca
E como a saliva sejam cuspidas nas calçadas alheias
E umedeçam a pele das mulheres
Arrepiadas
Que eu desminta todas verdades mal acabadas 
E enverdadeire as mentiras
Construídas
Que eu nessa lunática lucidez elucide minha mediocridade
E obsceno salpique minhas violências de branco
Cromaticamente ausente.

Foto: André Kerész - Polaroid SX-70

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Monday, June 21, 2010

Ora, existe!

Ora, existe! (30 de novembro 1977)

Eu que pensava ser utópica esta existência…

Tão perto, e de tão próxima distante.

Alguém que procura algo em outro alguém:

Daí a distância, procuramos ambos,

E na procura, nos encontramos diferentes.

P´ra procurar esquecer e na verdade sentir

P´ra tentar esconder e na volta partir

P´ra passar sem ver e no escuro sumir

P´ra então viver sem aqui nem ali;

No resumo de toda uma idéia insensata,

Na única palavra que você não cala.

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Saturday, June 19, 2010

Jornalismo e Sobrevivência

Falar que a Veja (e a Folha de SP) perderam o bonde do jornalismo do século 21 é, se näo um pleonasmo, uma covardia...
Ambos exemplares paulistanos dos anos 1970-80 da excelência da informação e análise, gigantes de outrora, hoje - tal qual esta ultrapassada figura de linguagem - revelam seus pés de barro.
Na mesma semana em que temos o editorial da FSP que espinafra com laivos espumantes de fúria equivocada e adolescente o novo Código Florestal - http://www.frenteambientalista.org/not_detalhe.asp?cod=2472 - se nos apresenta a capada Veja - http://bit.ly/dia7uz -, cuja mensagem iconografica direta deve, certamente  , representar o teor da matéria principal: Após uma semana!!! Noticia-se que um meio de interação (*) é o culpado pelo arremesso de dejetos orgânicos em pessoas públicas!
Se - como dizem - a informação é um dos pilares da sociedade e da democracia, não sei não... Num país carnavalizado como o nosso só posso dizer que estamos mal no quesito comissão de frente.
(*) meio de comunicação é unidirecional - e eles ainda não entenderam isso.

Friday, June 18, 2010

Marketing, Merchandising & Consumer

Hoje (18/06), logo pela manhã, ainda me arrumando no meu quarto, escuto minha filha mais velha às gargalhadas (o que diga-se de passagem não é nada incomum). Saio em direção ao seu quarto e ouço também vindo da sala a voz da minha esposa ao telefone, falando pausadamente: 
- Pode separar alguns legumes para uma sopa, cenoura, vagem... isso... pode separar também... isso... pode ser... tomates, cebolas... o de sempre... quando eu chegar ai eu pago...
Ao mesmo tempo minha filha dobrando-se ao meio e com voz entrecortada por risos sufocados, quase berra:
- Mãe, você é muuuuito fina! FAZENDO A FEIRA POR TELEFONE?!?!!
Eu que já havia compreendido o que ocorria e gargalhava... avisei:
- Isso merece um post!
A fiota não perdeu a deixa:
- Quinada! Merece um twitt!!!
...
Então, olha aí o que saiu: 

@camisvieira Minha mãe é um sucesso! Logo de manhã escuto ela fazendo a feira por telefone... Pode? 

Chegando em casa agora a noite, mostrei o twit pra patroa e comentei sobre o sistema bem século 21 do self-service com reserva antecipada by mobile, e ela emendou em cima:
- Self-service? Só porque eu quis! A japonesa da banca me entrega em casa - no final da feira - se eu pedir...
´Tô rindo até agora 
X>D

Posted via email from Impressões Digitais

Tuesday, June 15, 2010

Nada como um pós-jogo de futebol

Tudo bem... 

Acaba um jogo de futebol (ópio popular) da seleção (?) de futebol profissional brasileira (o que significa um feriado nacional branco) e coisas como a foto aí representa bem o "media brasillae populi". 
E aí? Do alto do meu profissionalismo global e mundializado questiono: Quem vai trabalhar até as tantas da madruga para entregar uma proposta técnica comercial até amanhã a tarde, quando esta caiu literalmente no seu colo as 12h de hoje?
Respostas para o meu twitter: @sergiovds 
Quem responder irá para o Hall dos Humanos Que Respeito... pois ainda primam pelo respeito à idiossincrasia de um bando de incompetentes. 
Nota: mas que isso é uma puta falta de sacanagem aaah isso é.

Posted via email from Impressões Digitais

Saturday, June 05, 2010

Não é José!?

Não é José!? (20 maio 1980)

Há muito resisto a algumas vontades banais
Como gritar em plena avenida
Ou algo assim como fingir epilepsia,
Não me acerto bem com meu dia
E neste mundo - como diria Drummond 
Vasto Mundo!
Só encontro rimas e não soluções.
Balbucio, solene, metáforas e figuras
Aquarelando pensamentos óbvios e comuns
Pelo simples prazer de dizê-los assim.
Não creio na cultura...

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Monday, May 31, 2010

Ambiente

Ambiente (s/ data 1974)

TEMPO..., .... $$!? *#∞@ (...); "..."
COR, ATINA, COMBINA,
CORTINA
DOR
  ROTINA   CONCUBINA
SOBE (SUSPIRA) DESCE
...
TOLA
ROLA
        ESTIRA / ESTIRPA
                                 PARTE
                                          ES
                                             CA
                                                 DA
                                                    E ...ESCAPA.

Foto: Capa do album Stairway to Escher do Bauhaus de 1974 (apenas lançado em 2003... mas tudo bem, eu só agora - em 2010 - estou lançando este  poema)  

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Wednesday, May 26, 2010

Brasil, meu Brasil brasileiro...

Ignorando o pleonasmo desta frase - tão incensada na canção - podemos afirmar que ela representa perfeitamente o que se pode esperar de nossa combalida, maltratada e previsível nação. E nesse saco eu coloco tudo: governantes e governados.

Ainda ontem, eu, mais uma vez estarrecido com a capacidade de nossos congressistas em inventar, publiquei o twitt acima.
Alguns tripudiaram, o @mateusrodrigues até comentou:  
"A seguir: lei obrigando escolas a terem professores"
E hoje dando uma olhadinha na edição digital da Folha de São Paulo olha só o que tá na 1ª página da edição de hoje (s6 de maio de 2010):

"SP abandona exigência para contratar professor.

Nova norma exime docente de avaliação da rede de ensino do governo estadual

A Secretaria da Educação do Estado de SP autorizou a contratação de professores que não tenham prestado exame de seleção, contrariando resolução anterior (…) "

No prazo de 48 horas este país abençoado por Deus e bonito por natureza, aprova federativamente uma Lei para tratar do óbvio educacional para o dicente, e obviamente (em se tratando de Brasil) rasga estadualmente uma resolução, embananando o profissional para o docente.

Como diz o @crisdias: avapapu!

Posted via email from Impressões Digitais

Sunday, May 23, 2010

Porra Folha!!!

´Tá certo que não gosto da Folha de São Paulo, os Frias nunca foram lá "grandes coisa" no jornalismo provinciano, quiçá no nacional, muito pelo contrário. 

Alguns de seus articulistas et cartunistas são os responsáveis por eu "peruar" aqui e acolá o jornal alheio muito de vez em quando. E "peruar, muito de vez em quando" exprime corretamente minha atitude para com tal periódico, pois creio ter comprado o último exemplar da FSP há uns 5 ou 6 anos. 
Além de meu pequeno nariz torcido para o viés "jornalístico" da Folha, com minha proficiência nas lides internéticas jornal chumbado e celulósico foi por mim abandonado há alguns anos... Com meu kindle então, vixe! No paper, no paper!!!
Com a campanha publicitária iniciada há uma semana batendo na tecla sobre o "o jornal do futuro feito pela Folha" juro que pensei: "Olha aí, após o Globo e um monte de jornais do RS e SC, teremos um jornal de São Paulo no formato Kindle / iPad". 
Fui todo serelepe ao jornaleiro aqui em frente de casa hoje de manhã e comprei a Nova Folha. Ao ler os cadernos perdido em meio a trocentas páginas de reclames, constatei: cometi um ledo engano... 
A FSP, no físico, deu uma mexidinha aqui nas fontes, outra alí no laioute, trocou nominho do "caderno", dispensou os articulistas caros e contratou alguns outros bem baratinhos, elegeu a Fernanda Torres (atriz) como articulista e garota (?) propaganda, sem contar que perdendo o Glauco, contratou um garoto de 14 anos como cartunista (tudo bem o garoto pode ser bom pra caramba - reconheço, não conheço o trabalho - mas porra Folha, não precisa anunciar deste jeito né, colocando-o ao mesmo nível de Angeli, Laerte, Iturrusgarai, Gonsales...); no digital, apenas disse que agora(?) ele tá integrado ao jornalismo (!!) de uma mesma redatoria... aimeusbago!!
Entonces, enquanto as empresas jornalísticas de bom senso  se preparam para serem agente de notícias para distribuição E interação digital a Folha de São Paulo da Família Frias se apresenta com um jornalão feito em linotipos.

Posted via email from Impressões Digitais

Friday, May 21, 2010

Caso

Caso (9 outubro 79)

Na limitação extrema de nossos verbos. Nossas

vozes. Silêncio

Na ebulição incontida de ambos temores

Sublimados. Vagos

Largados, noturnos. Lendo títulos de

primeiras páginas. Cegos

Ressonando suados entre um cigarro

e mais um. Outros

Uma síndrome moral no pão da manhã

Grita o sol enjaulado. Luz

Branca claridade calada. Nossos corpos. Nossos

copos. Caídos. Vazados

Um script terrorista de fim de tarde

Palavras oficiais. Normais

Vomitamos alcoolizados nossa renúncias

Novas, imediatas. Amargas

Devoramos nossa volúpia de bocas lambuzadas

De gordura pura. Ócio

Do feitio. Dos retalhos  de nossas inibições

Limitações e irritações. Imitadas

Quanta vontade muda. Imunda

vocação. Herege. Errática

Quanta trama desmembrada.

Alquebrada. Vício

Na fumaça, entre a boca e o mundo.

Sujo. Final...


Foto: Time Magazine cover Oct 79 - Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de S. Bernardo do Campo troca impressões com o suplente do Senador Franco Montoro... a reportagem do JB da o tom do mês de outubro de 1979

Posted via email from Anotações Nada Notáveis

Tuesday, May 18, 2010

Estou um pouco velho pra isso...

Ontem, dentre tantos emails, recebo o seguinte recadinho do provedor do meu podcast (para quem não sabe Impressões Digitais):

A hacker backdoor shell known to be associated with recent hacks on user accounts that are then used to launch SEO spam and malware distribution was found on your user, listed below:
xxxxxxx
This means that your user's password has likely been compromised. Your user's password has been changed to a random string to prevent the intruder from logging back in. Please do NOT change the password back to what it was previously! Going forward we need you to:

1) Ensure that you (and all of your users) have active and up-to-date virus/malware screening on all computers they use to connect to us. Infected computers are often how strong passwords are stolen.

2) Pick a new password for this user via our control panel under "Users" -> "Manage Users" -> "Edit". Your new password should not bear any similarity to the old one, should not be one you've used with any other online service, and should not contain any guessable components.

3) Discontinue use of regular FTP if you use it -- it sends passwords over the internet in plaintext. Use SFTP or SSH which encrypt passwords. On the same page you change your password in the control panel ("Users" -> "Manage Users" -> "Edit") you can select "SFTP Account" or "Shell Account" and then click the "Disallow FTP?" checkbox just below those options. 

4) Look for any files that may have been placed or modified by the intruder and remove them or remove the modified portion. 
It's a good idea to examine anything that has been modified more recently than you have updated your website for good measure.
a) SEO spam attacks that we have seen associated with this hacker shell typically leave behind a randomly named .php file and a subfolder named '.files' under the main folder of a domain. The .files folder may contain html pages named after popular SEO terms.
b) more rarely SEO redirect via obfusciated code that is added to site files
code example:
<?php /**/ eval(base64_decode("aWYoZn... 

A quick clean up for sites that have been modified with this string can be done via the SSH command line :
./ -name "*.php" -type f | 
xargs sed -i 's#<?php /**/ eval(base64_decode("aWY.*?>##
g' 2>&1
./ -name "*.php" -type f | 
xargs sed -i '/./,Illegal seekd' 2>&1

5) Make sure that any pre-packaged web software (blogs, galleries, carts, CMS scripts, etc.) are up-to-date with the most recent versions available from the vendor, as these often contain security patches against known vulnerabilities. While this was not the intrusion method for this hack, this is an important security measure for keeping yourself secure in the future.

Desde 2005 nunca tive problema algum com a hospedagem, e não é que agora vou ter que me virar como garoto de 20 anos para ficar depurando arquivo php infectado?
Ainda bem que há - aparentemente - uma solução (se você estiver com o mesmo problema clica aqui).
Preciso, agora, ¨cavar¨ umas horas na minha agenda já um tanto sufocada para espanar código de baixo nível e malicioso nos arquivos php do wordpress e seus plug-ins.
Enquanto eu não terminar de fazer isso o RSS do podcast não irá funcionar... desculpa aí. Foi maus... 

Posted via email from Impressões Digitais

Saturday, May 15, 2010

Cativo

Cativo (8 junho 1975)

Noite fria e enregelada
meus dentes rangem, e 
nada
tenho em mente
a não ser os amigos.

Tudo aquilo que deixei p´ra trás
No curto início de vida em que tive
tudo (ou nada?) em mim,
de outros e tolos com quem estive.
Razão nenhuma de ficar, de ir ou vir
eu tenho,
apenas acontecer e observar.

Como sempre, na escuridão,
tudo e nada se misturam
e correndo p´ra algum lugar
com meus meninos na rua
busco o ficar, o criar, o lutar.
Encontro então, minha vida
numa não esperada morte,
na personificação de minhas antigas
(nem tanto) sombras
...
Em parar, falar, calar e ouvir
Vivo e cativo meu ser escravo.

Nota: Nampula, norte de Moçambique. Quarta-feira, 25 de Junho de 1975. Milhares de pessoas reunem-se no campo de futebol da cidade para ouvir pela primeira vez os dirigentes da Frelimo. É o primeiro dia de independência. Todos escutam com atenção as palavras dos novos governantes. O discurso é novo, a forma de falar especial e a política sempre presente. Os últimos militares do exército português tinham abandonado a região norte, poucos dias antes. 

Posted via email from Anotações Nada Notáveis