Google+ Followers

Thursday, September 19, 2013

I Dig it 092


Hoje tem Podcast Impressões Digitais em sua versão LongPlay, edição nº 92 (#027)
I Dig it 092 v. LP 027 (playlist)

1 – Groovin’ – The Young Rascals (Billboard 67s #11)
2 – Can’t Take My Eyes Off You – Frankie Valli (Billboard 67s #12)
3 – The Letter – The Box Tops (Billboard 67s #05)
4 – Daydream Believer – The Monkees (Billboard 67s #06)
5 – Incense And Peppermints – Strawberry Alarm Clock (Billboard 67s #10)
6 – Somethin’ Stupid – Nancy Sinatra And Frank Sinatra (Billboard 67s #07)
7 – To Sir With Love – Lulu (Billboard 67s #01)
8 – Happy Together – The Turtles (Billboard 67s #08)
9 – I Heard It Through The Grapevine – Gladys Knight &The Pips (Billboard 67s #09)
10 – Light My Fire – The Doors (Billboard 67s #02)
11 – Windy – The Association (Billboard 67s #03)
12 – Ode To Billie Joe – Bobbie Gentry (Billboard 67s #04)

email: idigitais@gmail.com - skype: v.sergio - twitter: @sergiovds
http://impressoes.vocepod.com - http://sergiovds.blogspot.com - http://sergiovds.wordpress.com
LogEntry - I Dig it 092 :: Mais informações e LINKS

Thursday, September 05, 2013

I Dig it 091

Hoje é dia de Podcast Impressões Digitais em sua versão full, edição nº 91 de 9 de março do ano gregoriano de 2013.

INTRO (Introdução): O passado brasileiro sobrevive em terras européias e o presente do Homem é um tanto estranho… assim como os Estados que andam meio sem saber o que fazer.

OMDTM (O Manual do Torneiro Mecânico): A tecnologia, o ambiente social e a fluidez dos relacionamentos humanos do século 21.

PNHD (Poesia Numa Hora Dessas?): Trecho do livro Desassossego - Composto por Bernardo Soares, ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa e - em meia rima - semi-heterônimo de Fernando Pessoa

OPDSM (Os Pensamentos do Seu Milton): Os conceitos de Estado, da contenção da atividade individual, e a liberdade (ou a lamentável negligência das autoridades).

CNR (Caiu na Rede): Um conto sobre duas vacas - um infográfico baseado em um blog de Howard Lindzon, que por sua vez havia recebido o texto de um amigo, ou seja, algo bem web mesmo… dando continuidade ao processo, peguei o infográfico e o traduzi:

"Um conto sobre duas vacas".

No Socialismo: 
Você tem duas vacas.
Você dá uma a seu vizinho.

No Comunismo:
Você tem duas vacas.
O Estado toma ambas de você e lhe dá um pouco do leite que elas produzirem.

No Fascismo:
Você tem duas vacas.
O Estado leva as duas e vende um pouco de leite pra você.

No Estado Burocrático:
Você tem duas vacas.
O Estado leva as duas, mata uma, ordenha a outra e, em seguida, joga o leite fora.

No Capitalismo Tradicional:
Você tem duas vacas.
Você vende uma delas e compra um touro.
Que faz o que manda a natureza gerando um grande rebanho, fazendo sua economia crescer.
Você então vende tudo e se aposenta com o lucro do negócio.

No Capitalismo de Risco:
Você tem duas vacas.
Você vende três vacas para a sua companhia de capital aberto, usando, obviamente, cartas de crédito obtidas no banco em nome de seu cunhado, em seguida, você (credor) substitui a dívida por um percentual de participação na empresa, percentual que está associado a uma oferta pública de ações, de forma que você obtenha a propriedade de todas as quatro vacas.
Os direitos sobre o leite produzido pelas seis vacas são transferidos através de um intermediário para uma empresa sediada nas Ilhas Cayman que por sinal é de propriedade dos acionistas majoritários da sua companhia de capital aberto, empresa esta que vende os direitos de todas as sete vacas de volta para a sua empresa de capital aberto. O relatório anual desta última diz que a companhia possui oito vacas, com uma opção de aquisição de mais uma.

Nos Estados Unidos: 
Você tem duas vacas.
Você vende uma, e força a outra, por qualquer meio físico ou biológico, a produzir leite como se fosse quatro vacas.
Com o lucro rápido alcançado, e para deter know-how, você contrata um consultor para analisar por que a sua vaca caiu morta depois de 3 meses de produção.

Na França:
Você tem duas vacas.
Você entra em greve e convence seus vizinhos também produtores a bloquear as estradas, por que? 
Porque você quer três vacas, oras!

Na Itália:
Você tem duas vacas.
Mas não faz a menor ideia onde elas estão.
Você, então, toma mais um gole de grappa e decide que é melhor ir almoçar.

Na Suíça:
Você tem 5000 vacas!
Mas, nenhuma delas pertence a você.
Pois, você cobra, e bem, os proprietários para guardar as vacas, assim como a identidade deles.

Na China:
Você tem duas vacas.
E 300 pessoas para o trabalho de ordenha.
Você diz que na fazenda há pleno emprego e alta produtividade bovina, e claro, prende o jornalista que publicou os números reais.

Na Índia:
Você tem duas vacas.
Você as adora.

Na Grã-Bretanha:
Você tem duas vacas.
Ambas estão loucas.

No Iraque:
Você declara, inúmeras vezes, que não possui nenhuma vaca.
Ninguém acredita em você. Então bombardeiam sua terra à exaustão e invadem o seu país.
...
Você ainda não tem vacas, mas pelo menos agora seu país é uma democracia.

Na Austrália:
Você tem duas vacas.
O negócio parece que vai muito bem.
Você fecha o escritório e vai pra cidade tomar algumas cervejas para comemorar.

Na Nova Zelândia:
Você tem duas vacas.
A da esquerda parece muito atraente.

Na Grécia
Você tem duas vacas emprestadas por bancos franceses e alemães
Você come ambas.
Os bancos aparecem e cobram a produção de leite, mas você não pode entregar, assim você pede ajuda ao FMI, que te empresta duas vacas.
Você as come.
Os bancos E o FMI aparecem e cobram as vacas E o leite.
Mas você manda avisar que deu uma saidinha para cortar o cabelo...

No Brasil:
Você tem duas vacas.
Você pega uma mata e faz um churrasco pra acompanhar a cachaça do alambique, afinal seu filho entrou na faculdade.
Bêbado você chuta o balde com todo o leite e afoga a outra vaquinha no córrego.

(música incidental - Vaqueiro do Oeste - Bob Nelson)

EAIQAUP (É a ignoranssa qui astravanca u pogréssio): Entendendo o porque do Estado brasileiro não é laico, ou sobre laudêmios e outros privilégios.

TB (Terra brazilis): comprovando que o brasileiro não desiste nunca e é capaz de tudo um pouco - a versão ao vivo do Sambô para Mercedes Benz (de Janis Joplin)


BG (Background): Dave Brubeck interpretando (Medley) Swing Bells/The Duke/Things Ain't What They Used to Be?C Jam Blues/Don't Get Around Much Anymore - Travelin' Blues - Love Walked in - Bicycle Built for Two