Google+ Followers

Friday, April 20, 2007

Assunto: Conteúdo!


ArtPC_012_20abr07

Nós começamos a produzir podcasts normalmente porque desejamos.... ahn... sei lá... Provar a nós mesmos que sabemos um montão de coisas sobre publicação via CSS e HTML e gravação digital?
Hummm... Creio que não!
Creio que um dos bons motivos reside no "descobrimento de nossa própria voz". Não só nossa voz exteriorizada (a qual sempre nos assusta pela total incongruência com aquela que ouvimos ressonada em nossa caixa craniana), mas a nossa "voz interior", aquela mirabolante preparação mental que antecede a verbalização.
Um parênteses: Em 90% das vezes - sendo bastante otimista - a gente prova que essa "preparação" é bem "meia-boca", né?! Bem fragilzinha, basta atentar para a quantidade de besteiras que a gente fala por hora.
Mas voltemos ao nosso motivo primeiro: Temos coisas a dizer!!! E queremos que estas idéias alcancem os mais longíquos rincões deste planeta, alcançando o máximo possível de pessoas. Até aí, no plano das idéias e ideais, 'tá tudo muito bom, tudo muito bem... Mas realmente, um dos principais desafios que você irá encontrar, como um podcaster novato, está relacionado com a qualidade, normal e erroneamente vinculada apenas ao seu equipamento de captação.
Acomodado em frente ao seu computador, você verifica a configuração do microfoninho plástico que acompanhou o seu par de alto-falantes (usuários Macs, em sua maioria, não passam por isso), ajusta o software para gravar, clica em RECORD e... solta a voz. Depois de alguns minutos de gravação, você aperta o STOP e imediatamente o REWIND para ouvir, na maioria das vezes, sabe o quê? Uma vozinha um tanto chocha, sem corpo ou peso, encadeando frases tartamudeadas e permeadas de dezenas "humms", "ahns", esses engolidos e estalar de lábios, em uma quantidade que você jamais imaginou que produzisse enquanto falava...
Mas, colocando estas "descobertas" completamente comuns de lado; o que você gravou realmente tem alguma consistência? Ele se qualifica "de per si"? Em termos laicos: o conteúdo do seu podcast "pára em pé"?
Esta é a questão-chave que, desde do primeiro dia, você precisa considerar se deseja ser realmente um podcaster.
Ninguém sabe ao certo quantos podcasters estão descobrindo e colocando suas vozes na rede diariamente, e pode ter certeza, o desafio de todos não passa por questíunculas do tipo: "quanto custa aquele mixer?", "este microfone é adequado ao timbre da minha voz?", ou, ainda, "preciso de um truque de processamento de áudio pra tirar este ruidinho de fundo"...
Como qualquer produto, o podcasting em sua totalidade, é tão forte apenas até o limite de seu componente mais fraco. E se em seu podcast o ponto fraco é o conteúdo, ihhhhh... Pode se preparar, você vai ter muitos problemas; mesmo que lance mão de subterfúrgios e tente "no muque e na marra" conquistar seu espaço no meio desta cacofonia doida que é o mundo do podcasting. Na maioria das vezes o podcasting de conteúdo fraco, sossobra, se desfaz e morre... rapidinho. É por isso mesmo que o nosso mantra é "conteúdo é tudo, não adianta ser manteúdo e teúdo... conteúdo é tudo, não adianta ser manteúdo e teúdo...", que apesar de ser fácil de memorizar é muito difícil de executar, pois o danado requer e nos exige esforço diário e constante.
Da mesma forma que nossa voz é característica e única, cada um de nós possui interesses e gostos distintos, histórias diferentes decorrentes de experiências próprias, opiniões forjadas por nossas opções e convicções, as quais nos identificam e distinguem um dos outros. É exatamente isto que faz com que seu podcast seja ouvido e o distingue, aumentando o potencial intrínseco do processo. Pombas! É o que dá peso e corpo (e alma!) à sua voz!
Não é apenas seu conhecimento sobre o assunto tratado, mas principalmente a sua paixão, a força-motriz de um podcast. E mesmo que haja outros podcasts ou vozes por aí tratando dos mesmos tópicos, será sua paixão que irá lhe dar clareza, que irá distinguí-lo e pesar na avaliação da audiência. Isso é algo que não se consegue comprar nem conquistar só com equipamentos de áudio no estado-da-arte.
Então, depois de ouvir novamente seus "ahns" e "hums", e se convencer que realmente isto vai deixar seus ouvintes malucos, coloque os fones de ouvido e pode aplicar um bom tempo editando seu palavrório... e importante, não deixe de gastar uns trocadinhos num equipamento de captação melhor, aumentando a capacidade e qualidade de gravação. Mas, o mais importante de tudo, invista tempo, suor e cachola no tema, no assunto, no conteúdo dos seus podcasts.
Afinal nada melhor que falar de sua paixão.


Sérgio Vieira - autor deste artigo, transpira sangue para que seu podcast tenha um conteúdo que seja, pelo menos, considerado por alguns ouvintes como bom.
http://impressoes.vocepod.com
idigitais@gmail.com

2 comments:

Fisica no CP2 Engenho Novo said...

Opa Sérgio!


Bacana isso!

Será uma série! Tô gostando de ler... talvez até me anime a gravar mais uma edição :-)

abraços

Fisica no CP2 Engenho Novo said...

Olá Sérgio!

Beleza estes textos! Será uma série sobre podcaster?

[]'s