Google+ Followers

Saturday, July 07, 2007

I Dig it 034

Hoje é dia de Podcast Impressões Digitais - Compacto Duplo em sua trigésima-quarta edição - versão Compacto Duplo.

Powered by www.myfabrik.com


Lado A:
Solidão - Alceu Valença
A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.
A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.
A solidão é fera,
É amiga das horas,
É prima-irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos
Causando um descompasso no meu coração.
A solidão dos astros;
A solidão da lua;
A solidão da noite;
A solidão da rua.
A solidão é fera, a solidão devora.
É amiga das horas prima irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos,
Causando um descompasso no meu coração.
A solidão é fera,
É amiga das horas,
É prima-irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos
Causando um descompasso no meu coração.
A solidão dos astros;
A solidão da lua;
A solidão da noite;
A solidão da rua.


INTRO:
A solidão - em sua ferocidade, lentidão, indolência e em sua essência pegajosa - é o que separa ego de superego, o sorriso social da sisudez introspectiva. E no caso de o deste "I Dig" o que permite a introdução de singelos pequenos "poemas curtos", do estilo, hai-kais nipônicos no Homo Sapiens.

HOMO SAPIENS (poesia numa hora dessas?!):
...1
Procuro, e
Continua tudo
Escuro


Neuras de um ser sozinho: falar com qualquer coisa; manter o computador ligado; jamais comer algo diretamente da panela, mas preparar - caprichosamente - uma mesa ou arrumar uma bandeja para comer em frente à TV; fazer a cama de manhã, mesmo que só ele durma toda noite; com esmero barbear-se e vestir a melhor roupa diariamente - e claro - ouvir Billie Haliday no "talo".

Insert:
Solitude - Billie Holiday (Eddie Delange / Irving Mills)
In my solitude
You haunt me
With dreadful ease
Of days gone by
In my solitude
You taunt me
With memories
That never die
I sit in my chair
And filled with despair
Theres no one could be so sad
With gloom everywhere
I sit and I stare
I know that I'll soon go mad
In my solitude
I'm afraid
Dear lord above
Send back my love


...2

E inverno
Longo


Mais artimanhas para se combater a solidão: deixar a TV ligada; conectar-se a um instant messenger qualquer; comprar uma luneta; morar perto de um café, posto de gasolina ou padaria com loja de conveniência 24 horas.

...3
Inverno, que
Quase findo
Eterno


Nós pauistanos possuímos uma característica interessante: não conheço paulista algum que tenha se ofendido com Nelson Rodrigues quando este provovcou: "a pior solidão é a companhia de um paulista".

...4
Calor. Sufoco
Eu só
Quase louco


Nós, paulistas sorrimos à toa, somos todos meio ingênuos, inocentes, óbvios.

...5
Setembro, lento
Lembro, tento
Só, invento


A frase do Nelson Rodrigues é divertida, mas imprecisa. A companhia de um paulista é imprevisível. Difícil é aceitar um carioca solitário...

...6
Tem dó!
...(silêncio)
Eu tô só


O paulista não tem ilusões: é muito difícil viver em São Paulo... ela é lotada, mas deserta. Somos todos anônimos.

...7
Só lida
Sólida
Solidão


O que mais aflige um solitário é imaginar que a cidade inteira se diverte, e ele, não; que todos têm alguém, e ele está só. O que aflige um solitário é imaginar que faz sol lá fora, e o frio encontrou a sua alma para se instalar. O que alfige um solitário paulistano é que tem alguma coisa acontecendo, e ele está perdendo...

...8
(solar calor)

Dá temor


Agora uma coisa que poucos sabem é que hoje em dia temos à mão para um forma de livrar-se da solidão, mantendo-se devidamente afastado de todos, em segurança em sua casquinha de ovo:
Comece a produzir, já, um podcast... ô ermitão!!


Mais ou menos oriental no verso, assim como orientado pela vida, o Lado B é preenchido por algo que posso considerar um arauto dos meus 20 anos.

Lado B:
I'm so tired of bein alone - Al Green
I'm so tired of being alone,
I'm so tired of on-my-own,
won't you help me, girl,
just as soon as you can.
People say that I've found a way,
to make you say,
that you love me.
But baby,
you didn't go for that,
me, it's a natural fact,
that I wanna come back,
show me where it's at, baby.
I'm so tired of being alone,
I'm so tired of on-my-own,
won't you help me, girl,
just as soon as you can.
I guess you know that I, uh,
love you so,
even though,
you don't want me no more,
hey, hey, hey, I'm cryin' tears,
all through the years,
I tell you like it is,
honey, love me if you can.
Ya baby,
tired of being alone here by myself,
I tell ya, I'm tired baby,
I'm tired of being all wrapt up late at night,
in my dreams, nobody but you, baby.
Sometimes I wonder,
if you love me like you say you do,
You see baby, I've been thinking about you,
I've been wanting to get next to you, baby,
Sometimes I hold my arms and I say,
Mmmmm hmmmm hmmmm,
O baby, needing you has proven to me,
to be my greatest dream.
I'm so tired of being alone,
I'm so tired of on-my-own,
...Sometimes late at night I get to wonderin' about you baby,
Baby, baby, ya...



BackGround:
Piano Concerto No. 23 in A major (Wolfang A. Mozart); Romaria com Maria Bethânia (Renato Teixeira).

No comments: